quarta-feira, 30 de julho de 2014

Artigos de marca X Artigos NoName

Eu nunca mais esqueci de um evento que aconteceu comigo 15 anos atrás. Eu estudava em uma escola particular e andava com uma das meninas mais "patricinhas" de todos os tempos. Ela tinha bastante dinheiro e era muito vaidosa. Imagina uma menina de 13 anos que faz escova todos os dias e não sai sem base e rímel de casa... era ela (bem apropriado para a idade). Bom, eu, além de ser magrela e feia, não tinha nem muito dinheiro e nem muito bom gosto. Era muito díficil achar roupa que ficasse justa e por isso adorei uma calça jeans que comprei em uma barraquinha da feira por 20 reais. Marcava todas as minhas curvinhas, ou melhor, meus ossinhos e eu me achava o máximo nela. Quando usei ela pela primeira vez na escola, a primeira coisa que a minha amiga riquinha fez foi dar uma espiadinha na etiqueta. A calça não tinha marca (provavelmente feita à mão pela dona da barraca da feira) e logo, a etiqueta estava em branco. Pronto, ela disse: "nossa, como você tem coragem de usar uma calça sem marca??". Ela não só me provocou, como também contou para as outras meninas.. eu quis morrer e não lembro se cheguei a usar essa calça novamente. Cabecinha fraca.... 

Ainda hoje tenho muitos amigos preocupados com a marca das roupas. Isso faz parte da cultura brasileira e até quem não tem dinheiro paga 3x mais em uma camiseta com um logo falsificado para se sentir bem. Eu felizmente desapeguei dessa onda durante o colegial. Na época a minha autoestima aumentou (e eu tive uma fase hippie rs) então parei de ligar para marcas e para o q outras pessoas pensam de mim. Eu só digo uma coisa: isso é libertador! Não que eu não possua artigos de marca ou roupas mais caras, mas esse não é o fator decisivo na hora de comprar alguma peça. Aquela história de que artigos de marca sempre são melhores ou mais bonitos muitas vezes não é verdade. O melhor exemplo é o par de óculos amado que comprei sete meses atrás. 

Depois de quatro anos usando o mesmo par de óculos, resolvi procurar um outro mais moderninho para poder variar de vez em quando. O meu último óculos tinha custado 100 Euros (só a armação, as lentes foram mais caras ainda) mas como usei ele por 4 anos, ele saiu por 25 Euros / ano. Parei com a mão de vaquice e aceitei que merecia um novo par. Decidi que queria óculos de aro grosso (desses de nerd) em uma cor neutra e me apaixonei por vários modelos. Provei vários mas toda vez que via o preço, desistia (mesmo pq ainda precisaria comprar lentes novas). Foi aí que pensei: vamos ver o q a sessão de óculos sem marca tem a oferecer. Batata! Achei a armação dos meus sonhos por 30 Euros!

Meu par de óculos amado NoName - 30 Euros
Ele ficou ainda mais bonito que os outros no meu rosto e é super confortável. A diferença? Custou MUITO menos que os de marca e com a economia investi em lentes anti-reflexo melhores (mas também sem marca) que fazem toda a diferença:


E é por isso que eu digo, sempre que gostar de algo de marca, procure a versão genérica... você pode se surpreender!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Salada de batata e maionese

A salada de batata com maionese é um clássico aqui na alemanha (acho que eles não colocam a maionese clássica que conhecemos mas sim um outro molho, mas enfim). Como tinha coisa na geladeira estragando, resolvi inventar a minha própria salada de batata de um jeito que não pudesse dar muitooo errado (...e funcionou, uffffaa! Odeio jogar comida fora...). Ela é um ótimo acompanhamento para um churrasco ou para a costelinha do fds, mas ela foi o meu prato principal (e único) do almoço de hoje (e viva a preguiça!):

Ingredientes (4 porções generosas):
- 4 batatas bem grandes cozidas e picadinhas
- 1 ovo cozido picadinho
- 150 g de queijo branco suave (eu usei 1 bola de Mozzarella dessas que vende na Alemanha) picadinho
- 1/3 lata de milho
- 3-4 colheres de sopa de maionese
- limão, sal e pimenta a gosto
- 1/6 de cebola picadinha bem miudinha (opcional) --> o bafo vai durar dias #ficaadica

Misture as batatas, o ovo, o queijo e o milho. Adicione a maionese e mexa bem. Agora é só temperar com sal, pimenta e limão (e cebola caso goste). Geladinha fica melhor ainda:



Costelinha assada

Uma das receitas mais fáceis do mundo é a de costelinha assada. Fiz esse fim de semana por preguiça de fazer algo novo e ficou uma delícia (como sempre).

Ingredientes (4 pessoas):
- 4 costelinhas de porco (4 fileiras de aprox. 25-30 cm)
- 1/2 limão
- 4 dentes de alho picadinhos
- alecrim (1/2 colher de chá do em pó ou 4 raminhos, eu uso em pó pq nunca achei pouca quantidade do fresco)
- sal e pimenta a gosto
- alumínio e papel toalha

Lave as costelinhas com água corrente. Seque com um papel toalha (com cuidado para não grudar papel nelas). Agora é só temperar com o limão, alho, alecrim, sal e pimenta e enrolar no alumínio (eu coloco alumínio na forma que irá ao forno e cubro com alumínio por cima, não embrulho cada uma delas). Se fizer com alecrim fresco, é só colocar um raminho por costelinha que já dá sabor. Coloque na geladeira e deixe curtindo por pelo menos 6 horas. Depois é só colocar para assar (no alumínio mesmo) em fogo baixo (150°C) por uma hora. Depois tire o alumínio e deixe por mais 20-30 min de cada lado até dourar (agora a 180°C). Pronto, você não teve trabalho mas gastou horrores de energia elétrica (se for forno elétrico) ou horrores de gás. Namorado aprova sempre:



segunda-feira, 28 de julho de 2014

Só pra ver se eu cozinho mais depressa...

Superando medos: eu comprei (e usei) uma panela de pressão!

Estávamos passeando no supermercado 10 dias atrás e o namorado, todo empolgado: "Olha, panela de pressão em promoção! Com ela dá pra fazer doce de leite pro nosso churros caseiro!". Eu, que nem gosto de promoção (e muito menos de churros com doce de leite) fui logo pegando sem pensar: "Boa idéia, também dá pra fazer feijão". Eu só esqueci de um detalhe na hora: NUNCA usei uma panela de pressão, tamanho é o pavor que eu tenho do objeto explosivo. Mas tudo bem, quando vi a caixa no supermercado e pensei no meu doce de leite nem pensei nisso. O problema foi quando chegamos em casa. A panela ficou uma semana encostada (meu namorado até disse que achava que ainda dava pra devolver).

Bom, eu disse que não queria devolver a panela e então este sábado meu namorado me deu de "presente" um pacote de feijão e várias latas de leite condensado: "Pronto, agora a gente (você) pode usar a panela". Ontem criei coragem e resolvi começar pelo mais fácil: feijãozinho básico. Li e reli o manual de instruções várias vezes (da panela e do feijão rs) e coloquei as mãos à obra. Coloquei na panela 1 xícara de feijão para 3 xícaras de água, travei e coloquei para cozinhar. Os 45 minutos de cozimento foram tranquilos, fiquei muito feliz (até esse ponto tinha feito tudo sozinha!). Acontece que chegou a hora de desligar e abrir a bendita. Li o manual, ensinei o namorado e fiquei olhando de um canto afastado.... Não explodiuuuuuuuuuuuuuu! Meu namorado continuou inteiro e o feijão estava cozido! (Eu achei um absurdo ter que cozinhar por 45 minutos, imagina sem panela de pressão... demora 5 horas??!) Enfim, estou orgulhosa, agora eu cozinho mais depressa huhuhuhuhu... Arroz e feijão todo dia... e aos poucos eu me torno uma dona de casa de verdade (#medo).

Aaaahh e para quem não tem panela de pressão e quer comprar aqui na Alemanha, a nossa foi uma das mais baratas no mercado (custou 35 Euros, compramos no Netto mas também tem na Amazon) e funciona (pelo menos passou pelo teste do feijão), a Nivella Schnellkochtopf 4 Litros:




 

domingo, 27 de julho de 2014

Rota Romântica: Augsburg - Landsberg (de bike)

Um dos roteiros turísticos mais famosos aqui na Alemanha é a rota romântica (Romantische Straße): são mais de 400 km ligando Würzburg (uma cidade fofíssima) a Füssen (outra cidade mais bonita ainda, nos pés dos alpes e onde fica o famoso "castelo da cinderela", um dos pontos turísticos mais visitados na Alemanha). A parte mais legal: existe ciclovia no trajeto todo (super bem sinalizado) e para a nossa alegria, a linda cidade onde moramos faz parte da rota. Por isso, decidimos fazer um dos trechos de bike para aproveitar o tempo bom. Ontem acordamos cedo para receber uma caixa de produtos (que não foi entregue) e por isso conseguimos sair de casa "cedo" para um sábado de manhã: 10:20 começamos a pedalada.

O percurso é bem tranquilo e plano. A ciclovia é bem sinalizada (só ficamos com dúvida em uma parte, mas seguimos um pessoal de bike e deu tudo certo) mas é bom ter um mapa ou um GPS em mãos por segurança. A paisagem varia entre: represas, rio/córrego, vilas (passamos por dentro de algumas), plantações de trigo e de milho, campos de painel solar e mata. Não estava muito movimentado (acho que devido à previsão de chuva) e o percurso de ida totaliza 45 km (do centro de Augsburg até o centro histórico de Landsberg). Dá pra ir direto, fizemos a primeira parada no km 30 (5 minutos para tomar água) e no km 40, as duas à meu pedido.

 

Demoramos 3 horas pedalando em um ritmo tranquilo (15km/h) e chegamos descansados em Landsberg. Batemos perna no centrinho, passeamos em uma feirinha de cerâmica e tivemos sorte de ser dia de festa na cidade (tinha banda ao vivo e várias barraquinhas de comida). A cidade é linda e dá pra passar o dia todo passeando por lá. Nós só enrolamos um pouquinho e fomos logo comer (pq pedalar dá fome e o mau humor estava tomando conta de mim rs). Almoçamos comida alemã em um restaurante típico local (Restaurant und Weinstube am Hexenturm), muito bonitinho e rústico mas ao mesmo tempo chique. Gastamos 30 Euros com comida e bebida, praticamente o preço do trem de Augsburg para Landsberg ida e volta para duas pessoas (ou seja, fazendo o tour de bike ainda "economizamos para gastar no almoço rs). Recomomendo para quem gosta da comida alemã mas não acho uma boa pedida para um tour de bike (senti o gosto da comida durante a volta toda).

 


Bom, depois do almoço pegamos a bike e partimos (o céu estava cada vez mais cinza e a previsão era de chuva para o fim da tarde). Saímos 15:20 da tarde e 18:20 estávamos no supermercado perto de casa comprando as coisas para hoje (pq domingo tudo fecha aqui....). Timing perfeito: 19:30 começou a chover e nós estávamos aqui, cansados e felizes do passeio do dia. Delícia! Agora vou planejar a nossa próxima rota (acho que a Rota Romântica partindo daqui para o outro lado, sentido Donauwörth). Não é um joelho chato que vai me atrapalhar, bike: eu te amo!

  


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Dom

Eu acredito que todas pessoas tem um ou mais dons. Acho que tudo pode ser ensinado / aprendido e que com insistência, nos tornamos bons nas nossas áreas de interesse, mas algumas pessoas não precisam se esforçar, elas simplesmente nasceram com certas habilidades. (Talvez não tenham nascidos com a habilidade mas com uma facilidade para se desenvolver naquilo). Enfim, conheço pessoas que nunca fizeram curso de canto e cantam maravilhosamente bem e outras que tiram as mais belas fotos sem nunca ter lido o manual de uma máquina fotográfica ou ter feito um curso de fotografia.

Fato é: eu não sei qual o meu dom ainda, mas eu definitivamente não tenho o dom para dona de casa. Não dá, não tenho estrutura psicológica e nem habilidade motora para as chatíssimas tarefas do lar. Eu sou meio bruta e já quebrei algumas vassouras, mas agora todas as vezes que resolvo tirar o dia para ser Dita, eu me esfolo toda. Meu joelho está doendo de tanto eu me agachar para limpar ladrilho no banheiro, minhas duas mãos estão cheias de cortes do bombril estranho alemão de tanto esfregar o fogão (e entrou produto químico e ardeu tanto que nem consegui limpar o forno ainda), eu quebrei duas unhas e estou com tanta dor no braço que parece que passei a tarde esfregando roupa no tanque (isso pq só limpei quarto, banheiro e cozinha pela metade, e não limpei nenhum vidro!). Faxineira de 40 reais que limpava a nossa república e ainda lavava e passava a roupa, cadê você??!! Eu não ligo de não ter o dom da limpeza mas podia pelo menos ter o dom da riqueza para pagar a empregada alemã que cobra 10 Euros por hora né? :P

Acertando a receita #tchaudesemprego

Acho que agora finalmente acertei a receita para as candidaturas... Fiquei mais de dois meses recebendo respostas automáticas da empresas (com um "Não" bem gordo) mas nas últimas semanas tenho recebido bastante retorno positivo. O importante é não desistir... agora vai!

Vou até limpar a casa com a energia positiva que está sobrando...

#feliz #esperança #empolgada

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Quando não é pra ser

O mundo conspira sempre ao nosso favor. Quando algo não é pra ser não adianta (e nem faz bem) insistir. Eu me candidatei para uma vaga teoricamente interessante em uma super firma e fiquei um pouco chateada de receber o convite para uma entrevista por telefone e não para uma entrevista pessoal. Bobeira minha, pois depois da entrevista descobri que a vaga tem muito pouco a ver com o q eu quero / gosto. Sei que estou desempregada já faz um tempo e que tenho que ser flexível, mas pegar uma vaga qualquer só para ter um emprego não melhoraria a situação. A entrevista por telefone foi estranha, só eu falava e as mulheres do outro lado da linha me disseram que todos os motivos que citei por ter abandonado meu último emprego estariam presentes na nova vaga. Era o emprego que eu tinha e odiava, só que muito mais longe do meu namorado... aí é pra acabar né? Depois de 40 minutos de conversa (ou melhor, de monólogo) desliguei o telefone aliviada. Ainda bem que não precisei gastar dinheiro e tempo viajando até a PQP para descobrir que não era pra ser... pelo menos ainda não!

Jabuticaba Verniz&Cor Colorama

Resolvi testar mais uma cor de esmalte (faltam só mais 4!) e ontem passei um escurão já que não tenho entrevistas pessoais essa semana. O da vez foi o Jabuticaba verniz&cor da colorama... Li em alguns blogs muitooooos elogios, mas não entendi o pq. Passei duas camadas mas o esmalte ficou um pouco manchado (dá pra ver bem quando estou no sol). A cor, como o nome mesmo diz, é cor de jabuticaba (e eu ODEIO jabuticaba). É um vinho meio marrom/café, um tanto quanto sem graça. Quando meu namorado me viu a primeira coisa que disse foi "belas unhas!", mas ele sempre diz isso quando nota que acabei de fazer as unhas. Em 80% das vezes o comentário é para agradar e não levo muito a sério, pois é só eu falar: "eu não gostei" que ele também diz que não gostou e pergunta "resposta certa?". Bonzinho, mas não muda a minha opinião com relação ao esmalte. Para ajudar achei ele beeeeeeem difícil de passar, ele é líquido e escorre bastante, manchando tudo. Como a cor é escura, qualquer errinho fica chamativo e como não estou tirando as cutículas (tentativa número 233546) fica mais feio ainda. Talvez seja só uma questão de costume (nunca passei um esmalte tão escuro), vamos ver se simpatizo com a cor nos próximos dias...




Update uma semana depois: esse esmalte dura bastante mas mancha muiiiito a unha, e não existe acetona que ajude na hora de tirar o maldito. Eu usei base por baixo mas mesmo assim não consegui tirar tudo.... tenso.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Brandnooz Bella Italia 2014

Meu namorado tinha acabado de sair de casa para ir trabalhar. Eu estava me trocando e ele entra no apê de volta. Eu, toda preocupada, fui logo ver o q aconteceu... e lá estava ele todo felizinho na porta de entrada com a caixa da Brandnooz nas mãos: "encontrei com o cara da DHL quando estava indo pegar a bike". Agradeci e levei a caixa pra sala. Ele veio atrás e disse que também queria ver o q tem dentro antes de ir para o trabalho (aháááá ele também gosta da brincadeira!). Fiquei feliz de abrir a caixa com ele, mas a felicidade durou pouco (para entender é só ler a minha opinião sobre os produtos e a dele):

Brandnooz - Bella Italia 2014
 Dá para ver na foto que a caixa veio bem recheadinha de produtos (ao meu ver). Ficamos intrigados com a latinha e fui tentar descobrir o que é. Bom, tem álcool, vinho branco, gás, licor de laranja e ervas italianas. Algo que eu NUNCA compraria para provar, mas já coloquei na geladeira e essa semana descobriremos se essa combinação bizarra deu certo (a cara do namo foi de nojo).

Preço sugerido: 1,79 Euros (200 ml)
 O próximo produto ele tirou da caixa, nem olho direito o que era, me entregou e disse: "Afffff farinha". Eu achei bem legal, só precisa misturar com água, dar forma ao ciabatta e assar. Se ficar gostoso até compro mais vezes (se for fácil de achar, pois nunca vi antes):

Preço sugerido: 0,99 Euros (500 g)
 O próximo produto despertou um pouco o interesse do namo e ele foi logo procurar a latinha no nosso quebra cabeça de latas que fica na parede da sala. A limonada com campari vem em três sabores: Mojito sem álcool, laranja ou limão, nós recebemos o último (amém). Já coloquei na geladeira pra hoje a noite.

Preço sugerido: 1,29 Euros (330 ml)
O próximo produto meu namorado me passou sem nem olhar e com o comentário: "molho de tomate, que novidade". Essa marca é bem conhecida e o molho Arrabiatta pronto geralmente é gostosinho (quando não é muito picante). Mais um produto útil para os dias de preguiça, yes!!

Preço sugerido: 1,59 Euros (400 g)
 Quando vi a revista fiquei meio chateada (meu namorado nem olhou). Porra, preço sugerido de quase 5 Euros! Preferia ter recebido produtos nesse valor. Fui ver de quando é: é uma edição antiga (Fev/Mar 2014) que eles provavelmente receberam de graça pq não tem mais pra vender (vieram 2 depois dessa já). Resolvi perder o preconceito e olhar melhor se dá para tirar algum proveito. Sim, dá! Ela vem com 70 receitas italianas, várias já me deixaram com água na boca. A raiva passou rs:

Preço sugerido: 4,90 Euros
 Essa é a revistinha clássica da Brandnooz que acompanha todas as caixas. Não achei essa edição especial:


Finalmente mais um produto: Risotto pronto de presunto e tomate! É só colocar por um minuto e meio no microondas e comer, já vem até com garfo. Achei legal pq teoricamente era para receber ou esse produto, ou aquela bebida estranha (a latinha vermelha RICH), ou um risotto de aspargo ou uma bebida de café, e eu recebi dois deles. Sem falar que comida pronta sempre quebra um galho né!

Preço sugerido: 2,49 Euros (325 g)
 Meu namorado se estressou quando viu o segundo risoto: "Mais um??!". Eu já achei bem legal, sem falar que este risoto é de trufas e dá para 2 pessoas. É só misturar com água e mexer no fogo por 12 minutos, acho que já decidi qual vai ser a janta de hoje rs:

Preço sugerido: 2,29 Euros
 Finalmente algo doce, e em dose dupla! As barrinhas importadas de chocolate e côco paracem bem gostosas. Como sugerido, coloquei na geladeira. Ele não achou nada demais e ainda reclamou do repeteco: "Dois produtos iguais!". Eu achei bom, só algumas pessoas recebem algum dos produtos em dose dupla e dessa vez fui escolhida, sem falar que doce nunca é de mais:

Preço sugerido: 1,99 Euros cada
 Acho que esse foi o produto que meu namorado achou o mais inútil de todos. Foi logo dizendo que tem em todo mercado. Sim, tem em todo mercado e a gente já comprou, qual o problema? Lembro inclusive que gostamos, mas que não compramos mais pq achamos caro. Bom, agora posso usar sem dor no coração, já está pago mesmo:

Preço sugerido: 1,19 (90 ml)
 E por último, mais um produto para adoçar a minha vida: trufa de chocolate branco! Dei sorte, pois algumas pessoas receberam de chocolate escuro, mas eu prefiro choco branco. Achei o preço muito salgado para o pouquinho que vem mas acho legal provar algo mais caro de vez em quando. Vamos ver se vale o preço:

Preço sugerido: 3,49 Euros
Resumindo: gostei bem mais dessa edição temática do que da clássica (edição de junho). Achei os produtos interessantes e eu não conseguiria comprar tudo isso por 10 Euros (que foi o q paguei). Somando todos os produtos, a caixa tem um valor de 25 Euros (descontando as revistas, o valor continua alto: 20 Euros). Eu só conhecia um dos produtos e estou empolgada para provar os outros. Quando disse que gostei da caixa e q achei o valor bom, meu namorado respondeu: "Achei caro". Bom, eu já cancelei a minha assinatura pq sei que de Euro em Euro a conta vai ficando magrinha, mas estou feliz que ainda tenho 5 caixas para receber (3 da Brandnooz e 2 da Degusta). Agora só preciso decidir se vou ao supermercado ou se faço a gente sobreviver com o que temos no armário (pelo menos até amanhã). Acho que vou ficar com a última opção e aproveitar meu tempo para me preparar para a entrevista de amanhã... :) Ahhh e aprendi que tenho que abrir as caixas sem cia, ele só reclama!

Fotolivro da Fotokasten

Como eu já postei na segunda (aqui), aproveitei uma "promoção" para fazer um livro com fotos de uma viagem curtinha e para testar fotolivros de uma marca diferente: da Fotokasten. O cupom valia para livrinhos pequenos (este aqui) e é lógico que foi esse que eu fiz. Minha experiência em resumo:

Software Online: o software online para fazer o fotolivro é bem mais chato e não tão flexível quanto os da CEWE ou ROSSMANN. Ele oferece alguns layouts prontos (eu inclusive peguei um para não ter muita dor de cabeça) e você pode carregar as fotos do seu computador. O incoveniente: você precisa selecionar todas as fotos que quer no fotolivro logo no começo, se quiser adicionar alguma foto depois ele se perde, carrega tudo de novo e refaz o foto livro (você perde todas as configurações). Como eu não sabia disso tive que refazer o livro quando percebi que esqueci uma mísera foto. AAAaahhh, e como eu não salvei o livrinho, não consegui visualizar o produto pronto online depois de ter finalizado o pedido (falha minha, mas fica a dica: não esqueça de salvar).

Entrega: eu fiz o livrinho e o pedido na segunda na hora do almoço, hoje de manhã fomos acordados pela mocinha do correio com o produto, ou seja, tudo demorou menos de dois dias (extremamente rápido!!). O livro vem embalado em um plástico e em envelope A4 bem durinho, que proteje bem (ele chegou sem nenhum amassado).

Qualidade: outro ponto que me surpreendeu. O livro é feito de papel fotográfico fosco e gostoso de pegar (não deixa marca de dedo quando se pega nele). As cores ficaram fiéis às cores originais e até fotos que não estavam com a resolução muito boa ficaram relativamente nítidas (muito melhor que dos outros fotolivros que fiz até hoje). As páginas são grossas e bem durinhas, dando estabilidade para o livrinho de poucas páginas (no meu caso apenas 9 folhas / 18 páginas). Fiquei um pouco desapontada com o tamanho das letras na capa do livrinho, ficou feio e quase ilegível (no visualizador online não parecia que ficaria assim, mas eu que escolhi a fonte e o tamanho da letra, então azar o meu).

Preço: estava tudo muito bom para ser verdade, e é aqui que está o truque pega-trouxa. Eu ganhei um cupom de 9 Euros e por isso o livro saiu de graça, eu tive que arcar com os custos da entrega. Achei 5 Euros de correio caro, mas paguei (mas só pq não tive que pagar os 9 do livro). Quando o correio chegou hoje, fiquei surpresa e achei que foi caro pela rapidez. Meu namorado veio logo me mostrando que eles pagaram 1,45 Euros de "porto" (selo), o mais barato que existe. Quer dizer que essa promoção é meio furada: o produto não foi de graça, eu paguei 3,50 Euros pelo mini fotolivro + 1,50 de entrega. Eles provavelmente ainda tiveram lucro. Agora pagar o preço original do site (tudo por 14,00 Euros) é um absurdo e eu não recomendo. Fiz um fotolivro A4 com 24 páginas pela ROSSMANN por menos (ainda não chegou então não posso falar sobre a qualidade) e todos os outros discounters oferecem mini fotolivros por bem menos e você ainda não precisa pagar a entrega pois pode buscar pessoalmente na filial.

Bom, uma imagem diz mais que mil palavras e por isso:

 


terça-feira, 22 de julho de 2014

Sua profissão não te define

Nós crescemos acreditando que a nossa profissão nos define como pessoa. Se alguém te pergunta: "quem é você?", a resposta geralmente começa com: "psiquiatra, médica, professora de matemática, ...". Se alguém te pergunta: "O q vc faz?" (e essa é uma das primeiras perguntas que fazemos quando conhecemos alguém), a resposta nunca é: "aaaahhh, sempre que dá faço trilhas, gosto bastante de costurar e de ouvir Marisa Monte... também vou na academia!", e sim: "dona de casa, trabalho no hospital das clínicas, trabalho no depto de logística da Marisa, ...". 

Eu sei que passamos a maior parte do tempo no trabalho (pelo menos quando temos um rs) e que batalhamos desde pequenos para ter um bom emprego. Um bom emprego é sinônimo de status, um bom profissional é inteligente, esforçado. Mas desde quando uma pessoa não pode ser tudo isso independente da profissão ou do emprego? Pq é q uma pessoa que decidiu fazer turismo e viver como guia de trilhas parece não ser tão brilhante quando o cirurgião plástico que refez a Carla Perez? Pq uma pessoa é valorizada por coisas q faz no trabalho e não pelas atividades que faz no tempo livre? 

Eu também sempre me defini pela minha profissão. As pessoas me perguntavam: "o q vc faz na Alemanha?" e eu respondia: "trabalho como xyz no departamento da empresa xzy". E o q eu respondo agora, que estou desempregada? Na verdade falo de um jeito mais bonito: "Estou procurando emprego". E isso é absurdo. Eu mesma me defino como uma pessoa procurando emprego, é assim que me descrevo (e acho que sou um pouco mais interessante que isso).

Sim, eu passo grande parte do meu dia procurando emprego, mas não é isso q eu faço na Alemanha. O q eu faço na Alemanha? Eu vivo aqui. No verão eu passeio de bicicleta, vou nadar ou simplesmente tomar sol em um parque com meu namorado. Em dias frios monto quebra-cabeça, fico embaixo da coberta, costuro ou vejo bons filmes, entre outras coisas. Eu faço bastante coisa mesmo não estando trabalhando, então pq é q na minha descrição pessoal do Blog me defino como Engenheira Ambiental à procura de emprego?? E quando a pessoa se aposenta, ela deixa de ser ela mesma? Eu tenho um diploma de engenharia, mas isso nunca me definiu e nunca irá me definir como pessoa. 

Outra coisa interessante que reparei é q as pessoas que não me conhecem muito bem me descrevem fazendo refência ao meu emprego ou a falta dele, enquanto as pessoas que me conhecem bem (parentes próximos e amigos) quase nunca me perguntam sobre essas coisas e me descreveriam de uma forma completamente diferente (fazendo referência ao que realmente importa). 

Quem sou eu e o q eu faço? Não consigo resumir com um diploma ou com um cartão de visitas de uma empresa, sorry.

#acordeiestressadacomigomesma

labello vicia??

O primeiro hidratante labial que comprei aqui na Alemanha foi um com sabor de Pitaia. Por acaso o encontrei depois de quase 5 anos no meio das minhas coisas e como não achei validade no produto voltei a usá-lo (pq desperdiçar batom para ficar em casa é coisa de gente rica e não de gente desempregada como eu rs).

Nisso, lembrei que um alemão veio me dar um aviso sobre a marca quando me viu passando (e sabia que eu era nova na Alemanha): "cuidado menina, labello vicia!". Achei aquilo tão estranho que resolvi pesquisar, e para a minha surpresa achei mil e um sites falando sobre o assunto. Em vários fórus achei depoimentos de pessoas "viciadas" no batom e conselhos para tratamento do vício, bizarro. (Se não acredita, coloque "labello Sucht" no google). Eu reparei que repasso o labello com mais frequência do q outros batons, mas acho que é pq ele sai mais rápido. Os lábios ficam realmente ressecados quando não passo, mas isso acontece com produtos de qualquer marca (quem tem costume de passar manteiga de cacau também não aguenta ficar sem). Minha conclusão: quem tem lábios secos vai "viciar" em qualquer produto que umedece os lábios, pode ser labello ou não. Eu gosto bastante do sabor/cheiro de pitaia do labello que tenho. Ele deixa os lábios levemente rosados e com um brilho bem discreto. Super recomendo, pena que "já" está acabando:


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Fotolivro (quase) grátis

E a saga de fazer livros com as fotos digitais continua. Meu namorado provavelmente vai ter uma crise ao saber que eu fiz mais um foto-livro (foram 3 em 4 dias), mas é que eu não resisto quando recebo um bom desconto e o site da Fotokasten estava com uma promoção para clientes novos: o primeiro livro é de graça (só é necessário pagar os custos de envio: 5 Euros). Tudo bem que a promoção é para livrinhos pequenos (10x15 cm com 18 páginas), mas para algumas viagens não preciso de mais que isso. Peguei fotos do baú: viagem para o Rio de Janeiro em Julho de 2010. Visitei uma amiga e em 3,5 dias ela me levou para todos os points. Como estávamos mais concentradas em curtir, não tiramos tantas fotos assim. Foi fácil escolher as fotos. No fim dessa semana devo receber o álbum. Vamos ver se a qualidade é boa (o software online para fazer o livrinho é horrível comparado com os da dm e da ROSSMANN). Quero testar algumas empresas antes de fazer o foto-livro mais esperado da história: o da viagem que fiz com a minha irmã em março/abril desse ano. Como tem paisagens sensacionais, quero fazer o álbum com a empresa que tenha a melhor qualidade (considerando meu limite de budget, claro).

Para os interessados: http://www.fotokasten.de/

Li várias avaliações de gente reclamando do serviço deles e como o meu acabei de pedir, ainda não posso recomendar ou mandar ficar longe.

TeeGschwendner - Chás gelados

Há algumas semanas me cadastrei para participar de um teste de chás gelados de uma marca famosa que eu não conhecia: TeeGschwendner. A rede alemã tem uma loja aqui na minha cidade (em Augsburg) e já abriu duas lojas em São Paulo, uma delas no Shopping Iguatemi. Para a minha surpresa e alegria, fui escolhida para testar 8 tipos diferentes de chá gelado. Uma semana após receber o e-mail confirmando a participação, recebi um pacote com os produtos, com um livro informativo sobre diferentes tipos de chás (eu não sabia que existiam tantos rs) e um livrinho com os produtos e preços da marca:


As embalagens são bem bonitas e achei os sabores bem interessantes:
- Kräutertee Holunderblüte BIO: chá de flor de sabugueiro (orgânico)
- Grüntee Minze BIO: chá verde com hortelã (orgânico)
- Grüntee Mate: chá verde com mate
- Grüntee Ingwer-Orange BIO: chá verde com gengibre e laranja (orgânico)
- Früchtetee Schwarzkirsche BIO: chá de "cereja preta" (orgânico)
- Früchtetee Waldbeere BIO: chá de frutos silvestres (orgânico)
- Rooitea Mango-Passionsfrucht: chá de rooibos com manga e maracujá
- Schwarztee Grapefruit Apfel: chá perto com toranja e maçã

As embalagens contém 500 ml e a validade dos chás é de um ano a partir da data de fabricação:


Bom, testamos um chá por dia. Isso quer dizer que o experimento durou um pouco mais de uma semana e finalmente posso escrever a minha / nossa opinião sobre cada um deles. Como gosto é uma coisa muito pessoal, vale lembrar que estou contando da nossa experiência. Do mesmo jeito que eu amo fígado de boi e meu namorado odeia, pode ser que algumas pessoas gostem de chás dos quais não gostamos e vice-versa. Li a avaliação de uma menina alemã que odiou todos, nós já adoramos vários. Começando:

- Kräutertee Holunderblüte BIO: chá de flor de sabugueiro (orgânico)

  

Para ser sincera eu não fazia idéia do significado de Holunderblüte e tive que pesquisar no querido Google. Não ajudou muito pois também não conhecia a planta em português. Foi por isso que ficamos ainda mais curiosos para descobrir o sabor da tal flor de sabugueiro. Em poucas palavras: ele tem gosto de ervas (ou como eu dizia quando criança: gosto de mato). É refrescante mas achei que o gosto combinaria mais com um chá quente. Meu namorado também estranhou bastante. Não sabemos se gostamos ou não.

- Grüntee Minze BIO: chá verde com hortelã (orgânico)

  

Foi o primeiro chá que testamos. Ele tem um gosto bem suave de chá verde e a menta dá um toque refrescante. Eu gostei bastante, achei levinho e perfeito para um dia quente. Já meu namorado achou suave demais, disse que se o gosto de menta fosse um pouco mais forte o chá seria mais saboroso. Sempre tomamos chá verde (quente) e achei ótimo que esse chá não tem aquele amargo no fundo (comum em alguns chás desse tipo).

- Grüntee Mate: chá verde com mate

  

Esse foi o último chá que testamos. Adorei o sabor: levemente amargo e o gosto de chá mate é bem forte (logo, só quem gosta de chá mate vai gostar). Acontece que eu caí na besteira de tomá-lo ontem 23:00 da noite mesmo tendo lido na embalagem que ele possue alto teor de cafeína. Resumindo: fui dormir 2 da manhã, dormi muito mal (o quarto também estava quente) e saí da cama 5:00 da manhã, ótimo. Acho mate muito forte para tomar de manhã, mas acho um ótimo digestivo para depois do almoço (só não tome muito tarde, #ficaadica).

- Grüntee Ingwer-Orange BIO: chá verde com gengibre e laranja (orgânico)

  

Esse foi o único chá que me decepcionou. Meu chá quente favorito é de laranja com gengibre e por isso fiquei super empolgada para experimentar esse chá. Meu namorado não gosta de gengibre, então como esperado, tomou um golinho e parou aí mesmo. Já eu fui com sede ao copo.... infelizmente! O gosto de laranja é tão fraco que se eu não tivesse lido na embalagem que tem laranja, nunca adivinharia. Já o gosto de gengibre é tão forte, que o chá ficou ardido demais e chega a dar queimação na garganta na hora de engolir. Eu acho que a idéia de combinar esses sabores foi boa (mesmo pq, como já disse antes, o chá quente que tomo é maravilhoso), mas eles colocaram gengibre demais e laranja de menos. Tomei tudo, mas acompanhado de uma comida mexicana bem forte para "aguentar".

- Früchtetee Schwarzkirsche BIO: chá de "cereja preta" (orgânico)

  

Eu juro que não sei se a tradução "cereja preta" está certa, só sei que esse chá foi um dos nossos favoritos. Ele é doce e levemente artificial, mas saboroso e suave. Ele pode acompanhar o almoço (como fizemos) mas deve ficar mais gostoso ainda no chá da tarde, junto com bolachinhas ou um bolo. Recomendo!

- Früchtetee Waldbeere BIO: chá de frutos silvestres (orgânico)

  

Esse chá de frutos silvestres segue a mesma linha do chá de "cereja preta". Achamos ele um pouco mais doce e como não estamos acostumados com o gosto desse tipo de fruta (por não ser comum no brasil), também achamos ele levemente artificial (o q não nos incomodou nem um pouco e não deixa ele menos gostoso por isso). Esse é outro que gostamos muito e que vale a pena experimentar.

- Rooitea Mango-Passionsfrucht: chá de rooibos com manga e maracujá

  

Como era de se esperar, a combinação manga & maracujá ficou ótima! Eu só não sabia o que era rooibos (mas descobri que é um arbusto), agora sei que tem um gosto suave. Esse chá também é super refrescante, docinho e uma ótima pedida depois de um looooongo passeio de bike. Eu e meu namorado ficamos até chateados com o tamanho da garrafa... um copo para cada foi muito pouco! Adoramos!

- Schwarztee Grapefruit Apfel: chá perto com toranja e maçã

  

Esse chá acabei tomando sozinha. Meu namorado odeia toranja e depois do primeiro gole não quis mais. Eu acho que ele não gostou pq leu que é com toranja e foi influenciado. A verdade é que o chá quase não tem gosto de toranja (eu não senti), mas sim de chá preto com um fundinho de maçã (se é maçã verde ou não, não sei dizer). Como todo chá preto, ele é um pouco amargo, mas ao mesmo tempo doce e levemente azedinho (acho que por causa das frutas). Eu gostei bastante, principalmente para um café da tarde. Esse é outro que recomendo (mas só para quem gosta de chá preto!).

Bom, esse post ficou meio longo, mas é que era muito chá para testar! Resumindo: os oito chás oferecem opção para todos os gostos, alguns são bem suaves, outros mais fortes. Os sabores também são bem diferentes dos clássicos oferecidos no mercado (pêssego, limão, etc.). Todos eles possuem baixo valor calórico (20 - 23 kcal / 100ml) e são refrescantes, uma ótima alternativa para os fãs de chá em dias quentes. Só acho uma pena só existir embalagem de 500 ml (dá só para duas pessoas) e a caixinha custar 2 Euros (acho um pouco caro). No mais, adorei e fiquei feliz em descobrir uma nova marca de produtos bons!! Obrigada TeeGschwendner!! Nos vemos mais vezes....

Para quem quiser conhecer a loja online alemã: www.teegschwendner.de
Para quem tiver interesse em conhecer a loja em SP: http://vejasp.abril.com.br/estabelecimento/a-loja-do-cha-tee-gschwendner