sábado, 19 de dezembro de 2015

Tchau emprego antigo!!

E depois de sumir maaaaaaaaais uma vez, cá estou eu J

Antes de entrar de férias do novo emprego (sim, eu trabalho até dia 23…), resolvi compartilhar um pouco do que se passou na minha saída da última empresa (algo que ainda estou digerindo, tenho que assumir).

Depois de um bom período desempregada ano passado (quem acompanha sabe), voltei a trabalhar em outubro de 2014 muito muito muiiiiiiiiito empolgada (mesmo sendo longe do namo). Com o tempo o meu chefe foi ganhando confiança, fui aprendendo cada vez mais, ganhando mais responsabilidades e no meio desse ano estava cansada mas muito feliz e realizada com meu trabalho. Os colegas também eram ótimos e eu realmente acordava feliz e disposta, mesmo sabendo os pepinos que me esperavam no dia ou na semana.

Acontece que, assim como não se vive só de amor (aprendi do jeito doloroso: ficando desempregada e muitoooo entediada rs), emprego também não é tudo. Meus finais de semana passaram a ser bem meia boca, eu morria de saudades do namo e me sentia bem sozinha. Também sabia que como terceirizada não podia esperar até o projeto acabar à espera de um milagre: meu futuro na empresa era incerto demais então, antes de acabar na rua chorando as pitangas, passei a olhar o mercado de trabalho.

Em quatro anos e meio de relacionamento à distância encontrei pouquíssimas vagas na minha área "Engenharia Ambiental" (estava procurando em meio ambiente ou sustentabilidade ou segurança ou qualidade / sistema de gestão). Quando você está presa à uma cidade por causa de alguém (no caso o namo, que tem um super emprego), fica muito mais difícil.


E eis que em Agosto de 2015 aparece uma vaga não exatamente na minha área, mas super interessante, em uma empresa grande, e eu preenchia todos os requisitos. Não pensei duas vezes e me candidatei (mesmo achando meio cedo já que meu contrato como terceirizada ia até janeiro de 2017). E não é que me chamaram para uma entrevista?? Não consegui a vaga para qual me candidatei, mas uma outra em um departamento "amigo" (para trabalhar junto com a menina que conseguiu a vaga que eu tinha em mente huhuhu).

A candidatura foi dia 01.08.2015 e o contrato foi assinado dia 18.10.2015 para que eu começasse dia 01.12.2015 (quatro meses entre candidatura e início, por isso recomendo: se candidate pelo menos três meses antes!!).

Só avisei os colegas um mês antes de sair e foi bem chato (ficou um mega silêncio na sala de reunião). A maioria ficou bem feliz por mim pois todos sabiam que eu era terceirizada e que tinha meu relacionamento à distância há anos, mas mesmo assim fiquei me sentindo muito mal poir "deixá-los na mão". Tirei férias picadas (tinha onze dias ainda em novembro) para tornar minha saída menos dolorosa e para ajudá-los a achar alguém antes de sair (infelizmente não achamos tão rápido, até onde sei ainda estão procurando). 

Fiz tudo o q consegui nas minhas últimas semanas e um dia antes do último dia fiz meu Ausstand: gastei uma pequena fortuna em uma padaria boa (Nussplunder, Vanilleschnecken, Berliner, Laugen-Butter-Stangen) e convidei os colegas para um "café". Dica do ano: vc pode abater Einstand e Ausstand do imposto! (é só ter comprovante, por exemplo a Einladung com a confirmação de presença dos colegas e a notinha com os gastos, a famosa Quittung).

Ainda bem que não fui Mão de Vaca no meu Ausstand, teria morrido de vergonha... os colegas fizeram uma vaquinha e ganhei um buquê lindo, um vinho alemão bom, um cartão com uma mensagem mega bonitinha e assinaturas e o principal presente: um vale viagem da "urlaubsbox" para duas pessoas (pernoite de duas noites com café da manhã que vale para vários hotéis e cidades da europa) com validade de três anos para que eu comemore a nova etapa com o namo.... Não chorei na hora (acho que fiquei meio em choque), mas ME ACABEI de chorar no dia seguinte na hora de dar tchau de verdade.... do tipo MEGA ULTRA PEINLICH mm. Chorei quatro vezes e só parei quando cheguei no tram (sente o drama).

E assim, no dia 26.11.2015 me despedi de Mannheim pela terceira vez e do antigo emprego mit einem weinenden und einem lachenden Auge... e que o mundo continue sendo lindo comigo e conosco.... OBRIGADA VIDA! 2016, vemnimim!

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Carteira de Motorista - o fim da saga

Bom, imitando a Luana com seu Ze-Ruela, dividi minha saga em três partes, a primeira e a segunda já contei, a terceira vem agora (com um leve atraso de 19 dias, pq essa vida de mudar de emprego e de cidade está corrida demais)...

Acordei na segunda da prova prática (26.10.) cedo, tomei banho, coloquei meu sapato de trabalho mais confortável e fui tomar meu café da manhã no sol para respirar ar fresco e relaxar. Butterbrezel com muiiiiita manteiga, café e um degrau na frente da auto-escola... susse! O céu não tinha uma nuvem, as ruas secas e aquela paisagem de outono dourado enfeitando a cidade...

O instrutor chegou 15 minutos mais cedo que o combinado então começamos as aulas pré-prova antes. Ele estava mega simpático e ainda perguntou se tomei um bom café da manhã e ainda disse: "espero que sem café preto né?" (ops... too late)

Bom, treinei uma hora e 45 minutos e cinco minutos antes da prova estávamos no estacionamento da TÜV prontos para a hora do terror. No treino não teria passado em dois lugares, levei uma bronca e ele disse: "se passarmos aqui na prova agora vc já sabe!". Lembrei que não sei colocar gasolina no carro (nunca fiz e nunca vi alguém fazendo) mas ele logo me acalmou: "o tanque está cheio".

O avaliador se apresentou, controlou meu passaporte, entrou no carro e disse: "pode ir, vou te dando os comandos, quando não entender pergunte".
Eu: "Só depois que o senhor colocar o cinto."
Ele: "Pronto, agora pode ir."
Eu (suando já antes de ligar o carro): "Lá na saída da TÜV para a direita ou esquerda?"
Ele: "Direita, eu te falo os comandos à tempo, não se preocupe."
Eu (meio minuto depois): no semáforo no fim dessa rua, direita ou esquerda?"
Ele: "Hahahaha eu te falo à tempo, pode ficar calma... direita."
Eu: "Te incomoda se eu pensar alto durante a prova? Fico mais calma.."
Ele: "Finja que não estou aqui."
Eu: "Calma Lívia, é só uma aula normal.. essa voz que você está ouvindo é uma voz do ambiente dando instruções... você está sozinha no carro..."
Ele: "Hahahahaha eu sou só uma voz... não sou uma pessoa no carro."

Depois disso não rolou conversa nenhuma por 40 minutos, só instruções:
- próxima direita
- próxima esquerda
- estacione atrás de algum desses carros (tive que arrumar uma vez minha baliza)
- Autobahn sentido blábláblá
- Faça retorno assim que conseguir
- etc e tal

Seguidas de meus pensamentos em voz alta:
- "Stop-Schild: parar, respirar, contar: 23, 22, 21, olhar para esquerda e direita, continuar..."
- "Opppps, rotatória, não dar seta antes, só para sair"
- "Hmmm, Innerorts, máxima de 50 km/h, alles klar..."
- "Uia, não conheço esse lugar... melhor ir bem devagar nos cruzamentos.. aháááá aqui é rechts vor links"
- "Obras do outro lado da pista.. minha preferência!"
- etc etc etc

E como não chegávamos ao fim, eu já estava ensopada e cansada e quase desistindo...
Eu: "Nossa acho que estou mais vermelha que um tomate, é impressão minha ou está muito quente aqui???!!." (e pensei: pq ninguém fala nada que está acabando meu deussss?)
Instrutor e avaliador: "Hahahahaha estamos voltando, aguenta mais um pouco."

Chegamos no estacionamento da TÜV, instrutor com cara de bunda, avaliador abrindo sua maletinha...
Eu (que nem sou impaciente): "E agora?"
Avaliador: "Só vou colocar a data da prova na sua carteira, pronto... aqui."
Eu (que havia aprendido na auto-escola que ele explica os erros e dá dicas mesmo se a pessoa passou): "Alguma dica ou situações que preciso prestar mais atenção?"
Avaliador: "Não não, foi exemplar e sem nenhum erro... continue dirigindo com bastante atenção como hoje que não terá problemas, parabéns! Ahhh e o bom é que eu nem precisava ficar olhando, pelas suas falas dava para saber se você sabe o que está fazendo..."

O avaliador me deu a carteira e saiu, eu comecei a chorar (pq né, eu sou A MANTEIGA DERRETIDA)...
E meu instrutor:
"- Menina pq as lágrimas?? Vc passou!"
E eu: "Exatamente, eu passei!" e cai na risada... eu, a pessoa mais perdida do mundo, tenho uma carteira de motorista alemã...

Há salvação!!

Agora quem quer me dar um humilde Golf? Tb aceito um Polinho ou até um Corsinha ;)

#felicidade

O processo todo demorou 4 meses... e para alguém que quer saber quanto fica para fazer a carteira de motorista desde o começo em Baden-Württemberg precisando de uma quantidade razoável de aulas práticas e passando direto nas duas provas: a minha brincadeira ficou em 1.400 Euros. (#topobre)

domingo, 25 de outubro de 2015

Adeus vida cigana!

Genteeeeeeeeeeeeeeeeeee... é muita felicidade!!!  Lembra que eu estava só reclamando do relacionamento à distância??????????

Pois depois de mais de quatro anos de muitosssss km percorridos sextas e domingos (acompanhados de chororô), muitas noites sozinha e muita muita muiiiiiiiita saudade, o fim se aproxima. E não é como da última vez, que joguei o emprego pro alto sem ter nada para tentar a sorte (já aprendi que assim não dá muito certo)… Eu tenho um emprego… um BOM emprego, em uma BOA empresa, perto da casa do namo (que eu já passei a chamar de "nossa" casa novamente).

O contrato de trabalho foi assinado, a demissão do emprego atual foi entregue e o contrato do meu apertamento em Mannheim foi cancelado esse fim de semana. O apê de lá está sendo esvaziado aos poucos e o apê de cá está se enchendo… com as minhas tranqueiras e com muito amor e felicidade!!! Estou toda toda que não caibo em mim…

Dia 01.12.2015 começa a nova fase e eu estou contando os dias, mesmo com muitos sentimentos mistos. Adoro o emprego atual e claro que fico com um pouquinho de medo do novo, mas fato é que só tenho a ganhar:
  • O emprego atual é e uma empresa grande, mas sou terceirizada e assim que minha amiga que estou subtituindo voltar, minha empresa pode me mandar para qualquer lugar (e eles não ajudam com apartamento, transporte, nem nada, cai tudo nas minhas costas) à o emprego novo é “unbefristet” em uma companhia grande do lado de casa (30 km)
  • Como minha empresa atual de consultoria manda os funcionários cada vez para um projeto, não existe um plano de carreira a longo prazo, você tem que fazer aquilo que o mercado pede… não consigo me especializar em nada pois eles só precisam de generalistas (aqueles que sabem de tudo um pouco, mas nada muito bem) à na empresa nova trabalharei com muita coisa técnica e só o treinamento inicial dura um ano, eles investem pesado na capacitação dos funcionários (ainda mais por ser na area de pesquisa e desenvolvimento… vou ser development engineer, que chique!)
  • A empresa onde presto serviço é ótima, mas o departamento não está na sua melhor fase e a probabilidade de contratarem funcionionários externos (tipo eu) é de 0,00001%
  • EU VOU MORAR COM O NAMO …e nenhum argumento compete com isso…
Nada como um "pouquinho" de perseverança, trabalho duro e paciência.. quem acredita (e faz por onde) realmente sempre alcança. A palavra do fim de semana é GRATIDÃO. Vida, sua linda!

(to quase adicionando um marcador "#felicidade")

Carteira de Motorista - a saga 2.0

Bom, já contei que resolvi tirar a carteira de motorista e que estou fazendo tudo desde o começo por livre e espontânea vontade… porque eu óbviamente prefiro gastar 1500 euros ao invés de 500 né?? E tempo de sobra tenho tb (beeeeem mais legal ir pra auto-escola que fazer tae-bo). Mas não vou ficar reclamando mais ainda, é assim e pronto.

Frequentei a minima quantidade de aulas teóricas na auto-escola para poder fazer a prova prática (14 aulas de 1,5 horas), estudei com o app da ADAC para a prova igual a uma retardada (vc treina bzw. decora 1000 perguntas/respostas e na prova caem 30) e no meio de agosto, assim que terminei as aulas, fiz a prova na TÜV. Como eu tinha estudado frenéticamente (uma hora por dia por mais de um mês decorando tudo), nem precisei ler as perguntas, só li as respostas e fiz a prova em seis minutos (juro, tem no papel com os resultados). Ao receber o resultado (sai na hora mesmo), me senti o máximo: nenhum erro (cartão livre para a parte prática).

Nessa hora pensei: “ahááá todo mundo fala que é super difícil, conheço pessoas que reprovaram… eu sou boa, final de setembro estou com a carteira de motorist na mão! “ Acho que nessa hora eu esqueci de três coisas:
  • Não dá para “decorar” todas as situações de trânsito
  • Eu dirijo mal pra burro (muito muito muuuuito mal mesmo, quase não pegava o carro no Brasil e sou mega inexperiente + descoordenada)
  • Tenho o pior senso de orientação do mundo (entro em uma loja e ao sair não faço idéia se vim da direita ou da esquerda… vivo me perdendo e agradeço todos os dias por terem inventado o GPS)
Comecei a fazer as aulas práticas com o dono da auto-escola, a pessoa mais ESCR*T@ e grossa da face da terra. Ele reclamava de tudo (até do comprimento da minha unha) e vivia pegando no volante e gritando. Fiz seis aulas com ele (de 45 minutos cada) e no fim da sexta aula ainda estava nos exercícios básicos (treinar curva em um estacionamento). Nessa hora percebi que só iria estar pronta para a prova em 2020 (e até lá não teria mais nenhum centavo no banco… a brincadeira é cara pra dedéu!). Eu estava ODIANDO ainda mais dirigir.

Por sorte (ou por tática do professor que também não estava me aguentando), meu professor não pode ir na próxima aula e eu tive que treinar com um outro professor, muito mais calmo e legal e em outro carro (muito mais antigo e mais a minha cara). Resolvi trocar definitivamente de professor e já na primeira aula com ele dirigi na cidade, na segunda já comecei com as aulas obrigatórias (são 12 somando Autobahn, Überland e Noite) porque ele mesmo disse: “Ué, você sabe dirigir, podemos começar com as aulas especiais!” Me senti menos pior e a auto-confiança voltou, estava certa de que teria minha carteira em breve.

Depois de ter feito 15 aulas de 45 minutos com ele até o meio de outubro, descobri que me mudo de Mannheim no fim de Novembro (volto para Augsburg, depois eu conto algo feliz J). Contei que preciso terminar de tirar a carteira o mais rápido possível, tipo assim… ontem!

Ele marcou minha prova para 26.10.2015 (sim, amanhã) e marcou uma simulação de uma hora e meia dia 22.10.2015 só para garantir que estava tudo certo. Para a nossa surpresa (minha e dele), não estou pronta para a prova…. Reprovei em mais de 20 situações e ele literalmente acabou comigo. Foi tão estúpido que a marmanja de quase 30 anos desabou e chorou de soluçar. 

Porr@, é o meu dinheiro, meu tempo… é óbvio que quero passar na prova de primeira (mesmo pq não sei se terei outra chance em Mannheim e se me mudar para Augsburg sem a carteira posso reservar mais 500 Euros para a brincadeira). Não preciso de ninguém me colocando mais pra baixo ainda... Tivemos uma discussão feia, ele saiu do carro e foi tomar um café, eu respirei fundo, liguei para os colegas de trabalho avisando que chegaria atrasada e que perderia uma reunião e treinamos mais uma hora e meia. Pronto, agora eu passaria.

O professor ficou com tanto medo que resolveu marcar duas aulas antes da prova na segunda (pq se eu estiver no mesmo modo lerda-idiota-retardada de quinta passada, tem tempo de ele acabar comigo de novo e eu voltar a dirigir certo).

Agora torçam, pq eu acho que não tenho forças para passar por todo esse stress mais uma vez. E Murphy, fica no seu cantinho bem quietinho…. Please!

sábado, 26 de setembro de 2015

Tonga-la-monga

Já deveria ter aprendido, mas não consigo evitar: sofro por antecedência e tomo atitudes precipitadas... sou tonga.

E antes mesmo de conseguir o q preciso para acabar com o "Fern" e não com a "Beziehung" (uma vaga perto do namo), posso ter estragado o q tenho hj e q é mais que ótimo.... e pq? Ah é, já disse... sou tonga! (acho que vou começar a repetir em voz alta para ver se entra na minha cabeça a minha inocência e burrice, quem sabe assim aprendo).

Resumindo o pq do "sou tonga": Sempre dou uma olhadinha para ver como o mercado de trabalho está e ver se acho vagas legais perto do namo. Quando acho vaga na minha área e até 1 hora de distância (fato raro), mando candidatura.

E nessa de mandar candidatura, vc tem que contar com a possibilidade de convites para entrevistas... até aí tudo normal e dentro dos conformes. Quando veio o convite para a primeira fiquei super feliz (claro), e depois de uma entrevista de 1,5 h por Skype, recebi um convite para uma segunda entrevista pessoal. Fiquei mais feliz ainda, tirei férias em uma sexta feira (pedi para que marcassem segunda ou sexta para emendar com o fim de semana em Augsburg, não ficar ruim no trabalho e nem despertar suspeitas) e uma semana atrás saí com a sensação de dever cumprido da entrevista.

Essa semana me ligam... marcando a terceira (a última rodada)! Pediram para que fosse logo, na terça feira que vem. Pedi férias no mesmo dia do convite (mega em cima da hora, quinta passada) e meu chefe liberou o pedido (amém). Acontece que na saída do trabalho, telefonei com o "talvez futuro chefe"... e um colega de trabalho que gosto muito apressou o passo ao me ver caminhando para a portaria para ir comigo até o ponto, logo ouviu a conversa: Livinha confirmando a participação na entrevista, avisando o tempo de aviso prévio do atual contrato, etc.

Pronto, tive que contar... mesmo sem ter nada certo. E justo esse colega é o substituto do chefe do departamento. Mesmo confiando nele, fiquei com medo de ele comentar algo com o chefe para que ele saiba que eu talvez saia, avisar que ele tem que ter um plano B (estou com bastante tarefas e não seria/será simples e rápido passar para alguém caso a vaga der certo).

Poderia ter parado com a tonguice por aqui (nem tenho outra vaga e um colega já está pensando que vou abandonar o barco logo mais), mas resolvi falar com o chefe antes q o colega comentasse algo... mesmo ele tendo prometido que não o faria.

Agora me diz: que ser em sã consciência avisa o chefe atual que está participando de outro processo seletivo para mudar de emprego?? Só uma pessoa T-O-N-G-A!

Agora rezem para que eu consiga essa vaga na terça, caso contrário: dancei! (e a próxima Tag será "#desemprego" e não "#trabalho")

sábado, 19 de setembro de 2015

Bolsinha de Patchwork Dupla-Face 4.0 #D.I.Y.

Segundo o namo, essa bolsinha é a mais bonita que já fiz (foi feita ano passado... enviada em janeiro e graças ao correio brasileiro entregue quase 5 meses depois... poderia ter levado pessoalmente para minha irmã querida, chegaria mais rápido). Sei que continuo repetitiva.. mas é que bolsinhas são tão fáceis de fazer e tão úteis... um dos melhores presentes :)

Percebo que a foto é pré-histórica ao ver a sala horrorosa no fundo, que hj está bem bonitinha... (por favor abstraiam, foquem na bolsa). AAAAaaaa eu ainda tinha unha para pintar naquela época :P (ps. como esse pijama com essa blusa me deixam com um corpo horroroso... brochante... sorry namo!)

 ♥ laranja e roxo ♥




sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Carteira de Motorista - a saga 1.0

Depois de seis anos sem carteira de motorista na Alemanha, resolvi criar vergonha na cara.... não só por ter que ir de bicicleta para os quatro cantos da fábrica, mas por já ter perdido a chance mais de uma vez de conseguir uma vaga de emprego por não poder dirigir (e apesar de eu estar empregada e feliz, eu preciso deixar as portas abertas e ficar de olho, pq esse negócio de Fernbeziehung já está me incomodando e por saber que minha empresa não tem vaga fixa para mim... como funcionária terceirizada sou uma das primeiras a ir para a rua se for necessário... sem falar que tenho um Kündigungsfrist de apenas um mês....).

Como a carteira de motorista custa uma pequena fortuna, decidi tirá-la somente após ter o visto de permanência com tempo indeterminado (pq a última coisa que uma mão de vaca quer é gastar dinheiro e tempo para poder dirigir na Alemanha e ser mandada embora do país logo depois).

Bom, o visto permanente ganhei esse ano no dia do meu aniversário em maio (melhor presente de todos os tempos, Danke Angelinha, conto em outro post), então em junho fiz uma pesquisa sobre como transcrever a carteira, preços, papéis necessários, etc.

Todos os brasileiros que eu conheço e tiraram a carteira alemã fizeram a mesma coisa: Umschreiben da carteira brasileira. Esse é o procedimento de validação para quem pode dirigir no Brasil e, comparado com o processo de fazer a carteira do começo na Alemanha, sai pelo menos uns mil euros a menos. Motivos suficientes para a Livinha imitar (mesmo sabendo que gastaria 500 malditos euros com a brincadeira).


Resumindo meu processo para fazer a validação/transcrição da carteira brasileira:

1) tradução e classificação da carteira de motorista brasileira para alemão: fiz em maio na ADAC e de brinde ganhei um ano como sócia do clube e acesso ao APP de celular com todas as questões oficiais para treinar para a prova teórica para tirar a carteira

2) participação em um curso de primeiros socorros: fiz em junho na ADAC também, já que membros ganham desconto :)

3) teste de vista: por incrível que pareça quem faz não é nem médico, nem funcionário de ótica... fiz na ADAC no mesmo dia do curso de primeiros socorros e fiquei mega feliz por ter passado mesmo sem checar a vista faz mais de um ano e meio (continuo tendo dores de cabeça frequentes, shame on me, selber Schuld)

4) inscrição em uma auto-escola: depois de uma pesquisa de preços (vale a pena pesquisar, varia muiiiiito), barganhei a matrícula em uma auto-escola, paguei uma pequena fortuna e eles carimbaram o formulário da minha cidade para que eu conseguisse dar entrada na validação na autoridade responsável (só pode fazer onde vc tem seu Hauptwohnung, no meu caso na Führerscheinstelle de Augsburg)

5) foto biométrica: sabe aquela foto que você tirou para o passaporte ou para o milésimo visto de trabalho? uma dessas serve (desde que você não tenha mudado muito, caso contrário tire outra do jeito baratinho que já ensinei aqui)

6) cópia do contrato de trabalho: necessária somente caso você precise fazer as provas em outra cidade, no meu caso moro em Augsburg e preciso dar entrada aqui, mas fico de segunda a sexta em Mannheim por causa do emprego então farei as provas lá

7) entrega do pedido de validação/transcrição da carteira brasileira: foi no começo de julho... e aqui, minha gente, acabou toda a graça.

Simplesmente pq Augsburg é uma das pouquíssimas (talvez a única) cidade que não considera uma carteira renovada no Brasil após a entrada da pessoa na Alemanha. E com mais de seis anos no país das batatas, é óbvio que já renovei minha carteira brasileira depois da minha primeira Anmeldung.

Chegar com todos os documentos feliz e contente para receber um: "não, sua carteira brasileira não vale mais, vá para o departamento ao lado para dar entrada na carteira normal e gastar no mínimo mil euros e umas 100 horas da sua vida a mais que todos os outros brasileiros na Alemanha" foi um tapa na cara.... ou melhor: não foi só um tapa não, foram dois! (um na minha e um na cara do namo, que passou pela mesma situação, pois fizemos todas as etapas até aqui juntos).

Mas como brasileiro não desiste nunca, uma amiga nossa tentou essa semana... e pááááá na cara dela tb!

"Mas pq vc não deu entrada em Mannheim??" --> pq meu Hauptwohnsitz é em Augsburg coleguinhas

"Mas então pq vc não muda o Hauptwohnsitz para Mannheim??" --> pq eu teria que pagar Nebenwohnungssteuer em Augsburg (lei local também, Augsburg: eu te odeio)

"Mas pq vc não muda o Hauptwohnsitz só para fazer a carteira e depois desmuda??" --> pq além de ter que pagar o Nebenwohnungssteuer por uns 4 meses (tempo que precisarei para a carteira pq esse ano não estou desempregada, ufa), não conseguiria desmudar tão fácil (vc precisa justificar a mudança: trabalho, familía, etc... caso contrário o Hauptwohnsitz é a cidade onde vc passa a maior parte do seu tempo... onde fica seu Lebensschwerpunkt)

"Mas pq vc não se mata?" --> olha, to quase lá :P

A solução?? Carteira desde o começo... junto com a molecadinha de 17 anos... aiaiaiaiiiii meu bolso.... aiaiaiaiiii meu tempo livre.... aiaiaiaiiiii minha paciência....

A saga continua...

domingo, 30 de agosto de 2015

Consumismo mode on

Cheguei em Augsburg mais cedo para comprar uma roupa para a formatura de uma amiga (ela pediu para irmos mais arrumadinhos, então achei melhor comprar algo antes de aparecer com jeans, rasteira e blusinha de algodão)... saí com a blusa para a formatura E com uma camisa que estava em promoção (de 20 por 8... não dava para resistir...)....

...e como o desodorante também já estava no fim, passei na perfumaria para comprar o meu companheiro de todos os dias (pq gente fedida ninguém merece... e dia de formatura é dia de abraçar...). E no caminho para o caixa algo brilhou.. e era uma pulseira bem pequena (mas não era infantil... sem corações e barbies), e eu fui obrigada a comprar (já que não encontro pulseiras que me apetecem E que me servem todos os dias...):


E como se não bastasse o peso na consciência das duas compras supérfulas recentes, passei na Decathlon na volta do trabalho para usar o banheiro (pq na Estação central um xixizinho me custaria 1 Euro) e saí com um par de caneleiras... (ou seja, o xixi saiu por 15!)


Evitei o centro da cidade na época de queima de estoque de fim de estação para prevenir gastos desnecessários (já que ainda tem roupa com etiqueta do ano passado no armário e estou gastando uma pequena fortuna com um outro projeto), mas tenho gasto com coisas desnecessárias e estou com fogo para continuar gastando. Consumismo, saia desse corpo que não te pertence!

sábado, 18 de julho de 2015

Fernbeziehung: um desabafo

Mais mimimi (e olha que é verão... imagina a depressão no inverno!):

16.06.2015

Eu chorei, me descabelei e nao me reconhecia mais na época da minha busca desesperada por um emprego (quem leu posts entre maio e setembro de 2014 sabe do q estou falando)... e agora eu tenho um emprego super legal... e dazu uma Fernbeziehung. Nao que o assunto seja novo pra mim, muito pelo contrário, se existisse uma graduacao de 4 anos em Fernbeziehung eu nao só estaria formada: já estaria no meio da pós graduacao, mas o desabafo se faz necessário do mesmo jeito.

Daqui a pouco faz 9 meses que voltei para essa minha vida de “livre” e „independente“ (convenhamos que soa melhor que „solitária“) e depois de ler mais de 100 artigos e posts sobre relacionamento a distancia nos últimos 3 meses procurando algum consolo ou esperanca (sim minha gente, tem tudo isso de publicacao sobre o assunto), decidi que para mim só existem duas opcoes: acabar ou com “Fern” ou com a “Beziehung” (namo, caso você leia esse post: a segunda opcao está descartada, pelo menos da minha parte ;*).

Isso porque depois de tentar pensar nos pontos positivos (reforcados em vááários posts e artigos e por amigos que dizem: „que inveja de vocês“), os negativos pesam mais. Vai aí a lista das vantagens mencionadas por aqueles que defendem esse tipo de relacionamento e as desvantagens que fazem parte do meu dia-a-dia:

Vocês tem tempo para sentir saudades 
- sinto saudades mais de 70% do ano caros colegas, e isso definitivamente NAO é uma vantagem

Vocês querem aproveitar o curto tempo que tem um com o outro, é Honey-Moon todo fim de semana
- chego um caco e de mau-humor na sexta a noite na casa do namo e tudo o que quero é banho, comida e cama (nao necessariamente nessa ordem)
- quase todo fim de semana ele precisa de algumas horas para se “reacostumar” comigo, 80% das sextas ele me estranha pq né, a gente nem tá junto há quase seis anos (e olha que sou do tipo que usa sempre roupas parecidas, nunca corto ou pinto o cabelo e troco de perfume só quando o frasco acaba, ou seja, a cada 5 anos)
- no domingo acordo com cara de bunda pensando na viagem depois do almoco e recusamos todos os convites dos amigos para que o domingo nao fique mais curto ainda
- sobra o  sábado para nossa “Honey Moon”, que rola quando nao estamos fazendo algo com os amigos em comum (academia de fim de semana virou lenda né, pq senao passaria menos tempo ainda com ele)

Você tem tempo para fazer o que quiser durante a semana e para seus hobbies
- e se eu te disser que 98% das noites eu queria chegar em casa e ficar à toa com ele?? (mesmo que só depois da academia hehehe)
- e que minha máquina de costura e meus apetrechos ficam na casa dele... (hmmm talvez seja a hora de trazê-los para cá)
- e que nao vai ser facil fazer amigos na cidade onde voce „só” trabalha:
        - pq se um cara te chama para sair ele quer algo de voce (pelo menos é a interpretacao do namo) e voce teria que ir sozinha (já que o namo mora longe)
        - a mulherada da academia marca coisas na sexta (que você passa no trem) ou no fim de semana
        - grande parte dos alemaes tem seus amigos da época do colégio ou família por perto (e você está ALLEIN ALLEIN, como dizia um ex-vizinho do meu primeiro ano de Alemanha)

Vocês sempre tem assunto e o que contar um para o outro
- garanto que quando morávamos juntos nao faltava assunto… cada vez mais existem coisas que nao sao compartilhadas pela simples preguica de ficar horas no telefone e por esquecermos aquilo que aconteceu  na segunda e no dia parecia importante, mas na sexta nao tem mais relevância

Você pode focar na carreira
- que eu sou uma das poucas que nao liga de ficar até tarde ou de fazer hora extra é fato (desde que eu nao perca a hora do Tae Bo rs), mas o fato de nao ligar em trabalhar mais por saber que quando chego em casa nao tem nada nem ninguém me esperando está longe de ser uma vantagem… além disso, fazer horas extras nao é sinonimo de fazer carreira (pelo menos nao aqui na Alemanha, amém)

Se você acha que isso tudo é mimimi e frescura da minha parte, aqui vao mais alguns HARD-Facts que ilustram o drama:

- Desde janeiro desse ano já passei mais de 100 horas em trens indo e vindo de uma casa para outra… essas horas poderiam ter sido 16 dias de trabalho integral, ou 10 viagens de aviao Frankfurt – Sao Paulo, ou qualquer outra coisa melhor do que ficar se estressando (nao que eu curta passer mais de 10 horas num aviao mas enfim, nao faco isso 10 vezes no ano rs)

- Nosso bolso NAO agradece… em menos de meio ano (jan – junho) foram quase 700 euros em passagem (fora o valor do cartao da empresa de trens para pagarmos 50% do valor original) e quase 2000 euros de aluguel do segundo apê  na cidade onde trabalho (isso pq eu moro num cubículo de 22 m²)… dependendo do salário nao vale a pena (e independente do salário: nao é legal)

- Na ilusao de que um dia vamos morar no mesmo apartamento na cidade dele, nao invisto num ape bacana e nao entro para nenhum Verein ou academia aqui na cidade onde passo mais de 70% do meu tempo mas também nao procuro emprego em cidades sem ser a dele (tdo bem que aí entra o fator “Leiharbeiterin”/Terceirizada também, que é o q eu sou)

“Táááá Lívia, agora para de reclamar e acaba com essa situacao entao, ué”

Bom, eu tentei, eu já me demiti do último emprego e já fui morar com o namo. Consequencias:
- quase pirei na minha vida de dona-de-casa,
- descobri que arrumar um emprego estando desempregada é muuuuito mais díficil do que eu esperava (e provavelmente muito mais difícil do que tendo um emprego),
- descobri que na cidade do namo quase nao tem emprego na minha area,
- percebi que só de amor nao se vive…

Conclusao do dia? KEINE

Acho que o jeito é me afogar naquele pao com nutella ao som de Frida Gold no meu pijama mais feio e mais confortável (pq hoje é terca feira, dia de fazer o que eu quiser :P)

Entao mesmo sabendo que reclamar nao resolve nada, eu só precisava desabafar… ufffa… já melhorou… (TPM, é você chegando ou só a falta de esporte ontem e hoje???)

Cantina ou Marmita?

Escrito dia 15.06.2015:

Só de sol nao se vive (ainda bem, pq senao teríamos um “leve” problema aqui na Alemanha, mas enfim) e desde que sai de casa eu carrego comigo a dúvida: comer fora ou levar minha própria comida? Quando o “comer fora” fica muito mais caro do que o “levar a própria marmita ou lanche” nao preciso nem dizer o que faco ne… o problema (ou solucao) é quando tenho duas opcoes boas: minha comida ou comida pronta e barata. Ao contrário do que muita gente pensa, nao é só o preco que influencia minha escolha.

Na época da facul o “bandeijao” era muiiiito barato (acho que na época mais cara, quando saí da faculdade, a refeicao custava 2,50 reais com bebida e sobremesa). Mesmo assim eu comia 95% das vezes em casa:
- nosso apê era perto;
- o miojo com hamburguer ou ovo e milho ficava mais barato ainda :P (e eu precisava guardar o dindin pras baladinhas hehe);
- minha casa era fresca (pq Rio Claro está para Sao Paulo assim como Cuiabá está para o Mato Grosso)
- nao precisava comer na frente de 500 estranhos e evitava assim situacoes constrangedoras e ataques de pânico (nao se preocupe, tenho consciencia de que sou estranha)

Bom, aí veio a fase “facul na Alemanha”. Aqui vale o mesmo que pra facul do Brasil, com a diferenca de que subsitui o miojo com hamburguer por macarrao com salsicha. Quando comecei a trabalhar em uma empresa com cantina durante o mestrado, passei a levar o macarrao com salsicha (ou coisas parecidas) por questoes economicas e pela praticidade de nao ter que comer correndo (descontando o tempo de ida e volta para a cantina, teria apenas 15 minutos para comer).

Terminei o mestrado, comecei a trabalhar com salário “de gente grande” e aprendi que no mundo corporativo, almocar com as pessoas faz parte de networking (outra coisa BEM a minha cara #sqn³). Nao tínhamos microondas ou cozinha no departamento e para nao ser a anti-social do andar, passei a frequentar a cantina. Admito que nunca comi tao bem no dia-a-dia na Alemanha, e nos dias de mao-de-vaquice rolava Spätzle com legumes diversos por 2,00 Euros, top!

Bom, aí voltei para a empresa de antes, com a cantina na “pqp”. No comeco levava minha comida, como fazia antes, até o dia em que esqueci a marmita e comi por livre e espontanea falta de alternativa na cantina…. E nao é que foi bom? Carne, salada e acompanhamento na faixa de 3,70 (sem bebida e sobremesa, mas né, tá mais que bom)… e com opcoes mais sofisticadas (e mais caras), sem falar no buffet de salada ou pasta. Pra ajudar, o pessoal do departamento vai de van para chegarmos mais rápido e sobrar mais tempo para comer. Além disso, saindo do escritório na pausa você realmente consegue desligar um pouco, conversar bobagem e relaxar (comer na frente do PC = trabalhar na pausa ou fazer uma pausa curta só para engolir a comida e voltar pro trabalho). Pronto, aderi a opcao mesmo tendo que comer com estranhos.

“E ela comeu feliz para sempre”…. Seria lindo se o post acabasse por aqui, mas meus planos de cantina e noites sem cozinhar foram por água abaixo. Resumindo: as últimas semanas estao mega corridas, tem reuniao atrás de reuniao e algumas delas me fazem perder a carona para a cantina ou até mesmo o horário de abertura da cantina (hoje reuniao básica de 11:00 até 13:00, nada cool).

Como nao tenho levado nada para comer pois planejei comer na cantina, fiquei sem almoço três dias da semana passada e hoje aguentei até as 16:00 só com um iogurte, maca e nozes. Conclusao: cheguei em casa TAO mau-humorada que a primeira coisa que fiz foi passar no supermercado (que por sorte fica no térreo do meu prédio) e comprei comida para a semana inteira.

Agora tem macarrao no fogo cozinhando para amanha e provavelmente uns trocadinhos a mais no final da semana, já que a comprinha que fiz com o dinheiro que comeria 7 vezes na cantina dá para fazer (no mínimo) 14 refeicoes...

Eu até tento nao ser tao mao-de-vaca assim, mas o mundo realmente conspira contra algumas mudanças!

Alemanha – Brasil com Air Europa

Tirando o atraso, mais uma do baú...

18.04.2015:

E na busca por passagens para passar duas semaninhas no Brasil na época da páscoa (com ajuda do querido e amado skycanner) me deparei com precos assustadores e uma oferta menos pior (30% "menos cara" que Iberia, Lufthansa, AirFrance, KLM, e cia.). O problema era a cia aérea: Air Europa. Nunca tinha ouvido falar e fiquei meio desconfiada. Ao procurar comentários na internet sobre a qualidade dos voos e seriosidade da empresa fiquei menos sossegada ainda (e convenhamos que nos últimos tempos caiu aviao pra dedéu). Maaaaaaas boa mao de vaca que sou resolvi arriscar, ainda mais depois de conversar com um cara do trabalho que me disse que  viajaria com “uma tal de AirEuropa” para o Brasil em algumas semanas (antes da minha viagem, ou seja, qualquer problema no dele eu cancelaria o meu).

Quando amigos e parentes perguntavam com que empresa eu voaria e eu falava “AirEuropa”, todos faziam cara de interrogacao: “Mas é empresa nova??” “Pertence a qual grupo aéreo??”. Aposto que meus pais ficaram preocupados mas né, é o q tínhamos!

Agora faco questao de compartilhar com os interessados na cia aérea que eu sobrevivi: fui e voltei de Munique para Guarulhos e estou inteira (e levemente menos pobre) para compartilhar minha experiencia. Resumindo: eu viajaria com eles de novo mas acho interessante conhecer alguns detalhes antes:

1) O site de pagamento deles nao aceitou meu cartao de credito (nao me perguntem o pq) e esse meu colega que foi antes teve o mesmo problema. É necessário fazer uma transferencia bancária para uma conta na espanha e mandar um email com o comprovante de transferencia para um email xyz. Fiz a transferencia morrendo de medo de ser golpe mas logo em seguida recebi um email dizendo que assim que o dinheiro caisse na conta eles me mandariam o E-Ticket… deu tudo certo, sem problemas.

2) A passagem é bem mais barata por algum motivo: eles cobram extra por tudo e vc nao tem alguns luxos. Os fones de ouvido custam 3 Euros (leve o seu), no voo de ida eu tinha uma tv individual na frente do meu assento mas a maioria dos filmes tb tinham que ser comprados e no voo de volta havia uma tv a no teto a cada 5 metros (logo vc nao podia escolher o q ver e a q horas), as bebidas eram limitadas (so serviram um copo na hora do primeiro lanche e um copo na hora da refeicao principal), nao tem balinha ou chocolatinho, no voo de curta distancia (Munique – Madrid) nao tinha nem lanchinho e nada para beber (da pra comprar por uma “pequena” fortuna, leve pelo menos agua do aeroporto).

3) O aviao de ida era bem antigo e dava uma má impressao por estar meio acabadinho, o aviao de volta era novo e muito mais espacoso que o de ida, é uma questao de sorte.

4) A comida na ida (peguei “pasta”) estava MUITO ruim. Nem a salada (acho que era uma variante de tabule), nem o macarrao com um molho beeem estranho (era tomate??) e nem a sobremesa salvaram. Até o pao de café da manha estava ruim (quase sem recheio). Ainda bem que tinha um suco e muita fome para ajudar na hora de enfiar aquilo goela abaixo. Já a comida da volta estava deliciosa. Mesmo sem fome (comi uma empanada de carne no aeroporto antes de embarcar por precaucao) comi tudo… até o paozinho que acompanha a janta ou o almoco, diferenca incrivel da ida.

5) O servico foi bom mas o ultimo voo (Madrid – Munique) atrasou mais de uma hora por problemas técnicos na máquina (algo que vc nao quer ouvir antes de voar, mas enfim, melhor descobrirem no aeroporto antes da decolagem).

Sabendo de tudo isso: boa viagem, o bolso agradece!


Rauchmelder, meu mais novo pesadelo

Já que desgraça pouca é bobagem, mais uma do arquivo desse ano...

13.02.2015:

Tudo comecou com um aviso na porta do prédio… e nas escadas… e no elevador:

“Queridos” moradores (tá, forcei no “queridos”)
de acordo com a lei blabla deverao ser instalados detectores de fumaca em todas as residencias do estado de BW. Nos dias a, b, c, d (em duas semanas) instalaremos os detectores nos apartamentos desse prédio. Por lei voces sao obrigados a permitir nossa entrada. Nesse mesmo dia faremos a medicao do consumo de energia e água de cada apartamento. Caso vocês nao possam abrir o apartamento pessoalmente, por favor deixem a chave com o vizinho ou alguma outra pessoa. Lembramos mais uma vez que de acordo com a lei blabla e bleblé voces sao obrigados a permitir nossa entrada. O dia e horário das visitas por andar estao na tabela abaixo:

Meu andar: quarta feira 11.02.2014, à partir das 9:00 am“

Meu pensamento na hora: „Merda, nao tenho ninguém que possa abrir pra mim… mas meu trabalho é flexivel e como tenho algumas horas extras, vou para o trabalho depois que eles fizerem o q precisam fazer no ape… e pensando bem, até que é bom ter um detector de fumaca em casa.. vai que acontece alguma coisa né! É mesmo a minha cara dormir e esquecer a boca do fogao ligada...”

Avisei meu chefe que no dia 11.02. chegaria mais tarde, cancelei as reunioes no periodo da manha (que, para o meu azar, eram 3) e esqueci o assunto… até o dia 10.02.
No dia 10.02. antes de ir pro trabalho (6 e pouco da manha) resolvi fotografar o folheto com o aviso da visita na quarta (para ter o telefone de contato da empresa e para ter documentado o aviso da visita…).

Quando chego do trabalho no fim da tarde, quase tenho um infarto: um papel VERMELHO SANGUE na minha porta avisando que eu nao abri a porta quando deveria, que teria que pagar por uma segunda visita, que a visita seria na quinta 12.02. das 10:00 – 11:00 e que eu óbviamente teria que abrir a porta dessa vez, caso contrário seria uma infracao contra as leis blabla, bleblé e como se nao bastasse, lei blibli.

Pronto, tive uma crise…. Fui correndo ler a merda do papel que estava espalhado no prédio inteiro… e nao é que algum filho de uma égua me trocou todos os papéis do prédio enquanto eu estava no trabalho!!?? E como se nao bastasse, uma das poucas diferencas no novo papel (que parecia identico) era a data da visita no meu andar… foi alterada para 10.02.14 (o próprio dia). 

Surtei mais ainda e fui ver a minha foto das 6 e pouco da manha (com medo de ter pirado de vez e de ter confundido as datas). Nao, eu ainda nao estou louca... mas fiquei FURIOSA. 

Liguei no mesmo segundo para o cara da empresa (telefone estava no papel) e é óbvio que o bonitinho nao atendeu (afinal já eram 18:00… obvio que ele nao queria fazer mais nada no dia). Logo em seguida escrevi um dos emails mais grossos da minha vida para o mesmo cara (com fotos do papel antigo que havia sido trocado durante o dia). Avisei que, além de nao pagar por uma segunda visita por um erro deles, estaria esperando no primeiro horário combinado (quarta de manha) e que odiaria ter que tomar medidas caso algum dos funcionarios da firma nao aparecesse. Em menos de 5 minutinhos o telefone tocou e nem preciso dizer que o idiota, todo sem graca e p*** da vida, disse que iria na quarta e que houve uma pequena confusao com os papéis. (Ele chama de confusao, eu chamo de pilantragem mesmo).

Deu tudo certo: dois caras apareceram 9:30 da manha na quarta, fizeram as leituras do consumo d agua, luz, etc. e instalaram dois detectores de fumaca. Meu pensamento na hora: “dois aparelhos para um apartamento de um comodo com 19m², really??” Mas enfim, como nao está saindo do meu bolso nao fui pesquisar se realmente é necessário. Os caras vazaram, eu fui trabalhar e achei que a história tinha acabado por aí (mas Murphy ainda nao tinha dado as caras… vai vendo a merd@…).

Ao chegar em casa no mesmo dia 16:30 com febre e desejando morrer (após apenas 3 horas de trabalho), corri para o chuveiro para tomar um banho e lavar a alma (e quem sabe amenizar a dor de cabeca que estava insuportável). Depois de 10 minutos de banho, o escandalo:
PIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPIPI!!!!!!!!!!!!!

PORR@! Minha cabeca já estava explodindo, a última coisa que eu precisava era sair ensopada do meu banho para ler o manual de instrucoes da merda do alarme mais alto do mundo. Mas nao teve jeito… li (molhada mesmo) e desliguei a porcaria. Entrei no banho novamente… e ele disparou novamente… pq né, 2 detectores de fumaca para 19m² e um deles ao lado da porta do banheiro (um comodo do qual sai vapor)… acho que nao preciso explicar o que estava acontecendo… PORR@ PORR@ PORR@! Ou os caras sao muito burros, ou eles quiseram me sacanear depois da minha grosseria por causa do erro deles (depois dos acontecimentos dos últimos dois dias acho que foi burrice mesmo…). Fato é que esse detector de fumaca acabou com um dos meus maiores prazeres diários (voces sem água em SP que me perdoem): banhos escaldantes e looooooongos, desses que fazem MUITO vapor, fazem a pele descolar do corpo e dao muita caspa (e viva o Head&Shoulders).


Fim da história: ainda estou pensando se continuo com os banhos curtos e gelados ou se converso com os donos do apto sobre o assunto (mesmo pq, pra areas perto da cozinha ou banheiro existem detectores de incêndio por temperatura que nao disparam quando vc toma um banho ou frita um bife). E eu juro que no primeiro momento achei que seria uma coisa boa… inocente como sempre! Pelo menos eu economizo nos banhos também… :P

Esse carnaval eu vou de…

E continuando a desenterrar momentos felizes: uma retrospectiva do carnaval desse ano...

15.02.2015:

Esse carnaval eu vou de…
…Influenza!

Se você abriu esse post esperando ler sobre uma noite louca nas ruas geladas e coloridas de colônia... e quem sabe encontrar fotos de uma brasileira fantasiada e se divertindo com uma multidao bebada... bom.. se vc estava esperando isso, das duas uma:
  • ou você nao me conhece para saber que pra mim carnaval é igual qualquer outro fim de semana (no brasil ou na alemanha) (*vamos esquecer minha adolescência e o carnaval na praia, em sao luis do paraitinga ou em caxambú rs)
  • ou você ainda nao sabe que o virus da Influenza me pegou de jeito

Bom… quem me encontra no supermercado (o mais longe que saio) até pode achar que estou fantasiada de zumbi do walking dead, mas de resto nao tem nada de carnaval por aqui.

E aí você liga para seu chefe na quinta de manha avisando que só volta pro trabalho terca pq está de cama (sendo que as festas de carnaval na regiao duram de quinta a segunda). Essa definitivamente vai pra série “infelizes coincidencias” do periodo probatório, mas nao posso fazer muito a respeito… a nao ser dar dicas para quem pertence aos mais de 11.000 atingidos pela onde de Influenza desse ano (recorde no país, olha a Livinha contribuindo pras estatísticas minha gente).

Para passar um bom carnaval com Influenza voce vai precisar de:
  • Um termômetro (Fieberthermometer), recomendo o digital da dm por 3,45 EUR (leia o manual sobre como ler a temperatura, pois o da dm por exemplo mede com precisao somente pelo ânus, quando você mede pela boca precisa adicionar 0,5°C ao resultado)
  • Uma caixa de Ibuflan ou Ibuprofeno para controlar a febre e aliviar a dor de cabeca e do resto do corpo
  • Xarope para tosse (Hustensaft), o Bronchichum elixir deu certo pra mim e pode ser dado até para criancias a partir de 6 meses
  • Balinhas para a garganta e tosse (Salbei bonbons) para aliviar entre uma dose e outra de xarope
  • Spray descongestionante para as vias respiratórias, o NasenSpray ratiopharm garantiu minhas noites de sono sem muitas interrupcoes
  • Chás sem cafeína, eu tenho tomado chá de hortela com mel e limao (Limette mesmo) e ajuda muito, além de ser gostoso: para meio litro de água coloque um sache de chá de hortela ou menta, suco de meio limao e uma colher de chá de mel
  • Batatas e maças (poucas das comidas que param no estômago)
  • Todos os episodios de Game of Thrones (valeu namo, mega salvou o fim de semana!!)
  • Uma máquina de costura e panos (esse item faltou… ficou em Augsburg!)

Como eu amo muito, tive a consideracao de nao voltar para a casa do namo nos cinco dias desse fim de semana forcadamente prolongado para que ele nao passe pelo q estou passando na semana seguinte. Também nao estava em condicoes de viajar e, boa alma que sou, nao quis contaminar um vagao inteiro (provavelmente cheio nesse fim de semana de carnaval).


Agora me diz, meu carnaval foi ou nao foi de dar inveja em qualquer um??



Demissão

Revirando meu PC achei alguns posts que escrevi meeeeeeeeses atrás e resolvi publicá-los hoje (já que nos últimos dias a inspiração tem tendido à zero e esse blog tá mais parado que carro sem combustível).

E já que "mimimi" pouco é bobagem (vide último post), aqui vai mais uma bicuda que tomei da vida em dezembro do ano passado... e que já foi resolvida ;) (não fiquei desempregada, só mudei de empresa mesmo).

08.12.2014:
E quando a gente acha que a vida finalmente se estabilizou e que os próximos dois anos estao resolvidos vem Murphy (ou o seu empregador), te dá uma bicuda nas costas (parecida com aquela q o Neymar tomou alguns meses atrás) e tira tudo de órbita novamente.

Eu estava feliz e, apesar de ainda estar no período probatório (Probezeit), me sentia confiante de que tudo estava correndo bem. Até que a empresa que me contratou e me  "aluga" para uma outra empresa me chama para uma reuniao de última hora (me ligaram na sexta na hora do almoco me pedindo para ir urgente na segunda bzw. hoje no escritório deles). Como eu sei que está rolando um stress com relacao à horas de trabalho e horas extra (eles sacanearam a empresa que trabalho e isso acabou de vir à tona), achei que se tratasse desse assunto (mesmo pq eles fizeram mais um chuncho com os contratos para ganharem mais em cima de mim e isso também veio à tona). No sábado estava um pouco nervosa, comentei com o namo que estava meio tensa com a reuniao misteriosa de segunda, mas meu namorado me acalmou: "Pq eles iriam te mandar embora?? Eles ganham uma fortuna em cima de vc... Devem fazer alguma chantagem ou tentar mudar seu contrato.. mas nao te demitir... relaxa!". Também me lembrou que se eles me demitissem, quebrariam o contrato com a empresa onde estou prestando servico e isso nao seria nada bom pra eles (queimaria muito o filme e prejudicaria possíveis projetos futuros). Além disso, acabei de encerrar o período de treinamento (Einarbeitung), a amiga que estou substituindo entrou em licenca maternidade hoje e eles me pagaram um curso relativamente caro e necessário para essa funcao. Meu namorado me acalmou... como seria bom se ele estivesse certo... mas dessa vez "leider nicht" (infelizmente nao).

Hoje acordei antes da 5 para chegar no horário (8:15) na porcaria da empresa (que fica longe pra dedéu). Chegando lá me enrolaram por 15 minutos, avisei que meu trem de volta estava marcado para 10:18 (eu tinha uma reuniao na empresa onde presto servico) entao era bom comecarmos logo. O chefe da empresa entra em uma sala de reunioes comigo sem o meu chefe direto... coisa boa nao devia ser... e nao era!

Primeiro ele queria saber sobre o projeto: "tudo ótimo, acabou a fase de adaptacao e passei na prova necessária para exercer a funcao", contei toda orgulhosa.

E a parte desagradável veio em seguida:

"Que ótimo Frau Mao de Vaca! Mas preciso conversar com voce sobre o projeto..."

Silêncio... Lívia com cara de paisagem esperando o pior novamente...

"Existem muitas leis na Alemanha referentes à prestacao de servicos para evitar que empresas tratem os funcionários como escravos, e nos últimos dois anos essas leis ficaram muito exigentes... principalmente com relacao ao regime de trabalho em que você se encontra (nesse caso "Arbeitnehmerüberlassung" - mais pra frente escrevo um Post sobre as diferentes modalidades). Nossa empresa cometeu alguns errinhos (também conhecidos como "ilegalidades")... pq nao tem como sabermos tudo né?? E resolvemos que esse tal esquema de Arbeitnehmerüberlassung está associado à muitos riscos... riscos que nao queremos ter..."

Eu pensei: "Hmmmm querem mudar meu contrato para outro esquema...", mas pra variar só um pouquinho, eu me enganei:

"Nao é uma situacao fácil pra mim também... mas o q eu quero dizer é q nao vamos continuar com o projeto..."

Ahááá... se nao tem projeto, nao tem emprego pra mim... Eu nao sei o q senti nessa hora, foi uma mistura de raiva, tristeza, indignacao. Tive que ser um pouco mais direta com o coleguinha chefe da empresa: "Qual a data do fim do projeto?" (se é que se pode chamar o comeco de um projeto de "fim".. mas enfim...)

"Bom, só até o fim do ano."

Delícia, ótima notícia antes de entrar nas férias de natal (ou já devo chamar de desemprego?). Bom que ele já veio com a solucao: "Mas daqui a 10 minutos o Herr XYZ da empresa zxy estará aqui para conhece-la pessoalmente e voce pode assinar um contrato com essa nova empresa e continuar trabalhando no projeto se quiser".

E eu fiquei mais sem chao ainda... o cara me pré-demite e me arruma uma entrevista em seguida sem antes falar comigo? E teoricamente fica tudo bem??? Ele só se esqueceu eu alguns pequenos detalhes, que nao sao tao pequenos assim:

- eu preciso de um visto novo para mudar de empresa e de emprego (e quem já leu alguns posts sobre desemprego e luta por um visto sabe que nao é tao simples assim)

- o chefe do departamento onde estou prestando servicos nao está sabendo de nada e nao é a coisa mais rápida e simples do mundo "trocar" o contrato de uma empresa com a outra (ainda mais logo antes das férias de fim de ano, quando a empresa literalmente fecha e o responsável está de férias até o fim de janeiro)

- eu nao sou uma mercadoria que pode ser simplesmente passada pra frente (ou sou?)

Resumindo, depois de alguns minutos o cara da outra empresa chegou, se apresentou, apresentou a empresa, me entregou um rascunho de contrato e eu sai correndo para nao perder meu trem (com a sensacao de estar sonhando... ou tendo um pesadelo...).

Entrando no trem finalmente tirei a máscara de "durona" e madura e desmoronei... Mandei uma SMS pro namo "Fui demitida" e liguei em seguida. Coitado... ele em pleno trabalho e a louca aqui liga, totalmente surtada e em pedacos. Ele me acalmou (pra variar só um pouquinho), fui para a empresa onde presto servicos em alfa (e as pessoas me perguntavam se estava tudo bem, vendo que eu óbviamente nao estava bem), sai de lá ainda p*** da vida e me matei na academia.

Agora estou aqui, escrevendo e refletindo sobre o meu dia.... Nao foi um sonho e nem mesmo um pesadelo... Isso está acontecendo de verdade... e o q eu queria nesse momento era sumir, só isso... tem como?

domingo, 21 de junho de 2015

Isn´t it ironic???

Provavelmente quando nasceu meu primeiro dente, comecei a roer as unhas. Esse foi um vício que me perturbou a vida inteira e me fazia inclusive esconder as mãos horrorosas. Minha mae até que tentou ajudar: com pimenta, com esmalte com gosto ruim, pintando os cotocos bonitinhos para ver se eu os deixava crescer. Fato é que nunca funcionou... até o belo dia que o namo disse: "que feias suas unhas". Pronto, problema resolvido: comprei esmalte (no comeco clarinho para nao chamar muita atencao) e pouco tempo depois usei um cortador de unhas pela primeira vez nas unhas das mãos, mágico. Se eu soubesse que seria tão fácil daria um jeito de ter conhecido o namo com toda a sua sinceridade antes hehehe.

Depois disso peguei uma certa obsessão por esmaltes, era só ver um vidrinho novo com uma das minhas cores favoritas que abria a mão. A coleção foi aumentando e hoje tenho uma variedade que (se não fosse a validade), duraria fácil fácil até 2020. Nos últimos tempos também parei de tirar as cutículas e elas finalmente estavam bonitinhas (antes eram avermelhadas, pareciam sempre inflamadas). Consegui, estava com orgulho das minhas mãos e evolui para a fase: quero anéis!!!!

Ganhei um da mamis (de quando ela tinha 17 anos) e comprei um de festa bem bonito, cheio de zirconias, para o casamento que fui em abril. Para esse casamento fiz inclusive nõ só a minha mão (a mais bonita que já fiz até hoje, recebi vários elogios), como a de uma das minhas irmãs e a da mãe da noiva: sente a responsa.

Meu anel de festa ♥


E estava tudo lindo nessa "área da minha vida", mas acho que Murphy realmente não sai do meu pé... porque umas duas semanas depois eu reparei que uma das minhas cutículas estava descolada e ao invés de unha tinha um buraco na região da matriz (onde fica aquela meia lua na base). Googlei... e quanto mais googlava, mais entrava em pânico. Isso foi uma segunda feira, na quarta tinha mais três dedos com cutícula descolada e com unha estranha crescendo, uma unha deformadinha que solta caspinhas... Me segurei para não contar pro namo no telefone mas na sexta cheguei chorando na Bahnhof: "to ficando sem unha!! Você me ama igual, mesmo sem unhas???" #dramamodeon

A esse ponto eu já tinha feito uma lista com as possíveis doenças e já havia mandado uma foto para a irmã médica (psiquiatra megaaaaa especialista em unhas, mas enfim, ela teve que passar por dermo na facul rs):
- doenças degenerativas
- disfunção da tireóide
- falta de vitaminas e ferro (essa foi a que minha irmã chutou)
- fungos ou bactérias nas unhas
- algum tipo de câncer (o google acha que câncer é a resposta para tudo)

Tenho que admitir que a sessão "imagens" da minha busca foi chocante e piorou meu quadro psicológico. O namo me acalmou mas além de voltar a esconder as mãos, passei a conferir as unhas a cada cinco minutos... e marquei um horário com minha médica.

A Hausärztin é uma fofa mas não conseguiu ajudar: "estranho... muito específico...mas definitivamente não são fungos... aqui o encaminhamento pro dermatologista".

Nisso voltei a ter dores fortes no pulso direito (que me incomoda há muito tempo, vemmm e vai embora) e resolvi pesquisar algo como: "dor no pulso + unha deformada"... e como o google tem resposta para tudo, ele acertou o diagnóstico do dermatologista antes mesmo na minha consulta.

Para não influenciar o diagnóstico cheguei quieta no dermo e só mostrei as unhas deformadas... e ele me surpreendeu com a pergunta: "problemas com alguma articulação??"... e nessa hora eu já sabia o que eu tinha: "sim, joelhos e pulsos". (lembram do meu joelho de corredor??? pois é...)

O nome do remédio para as unhas já diz tudo: Psorcutan --> psoriasis, minha gente... na Alemanha popularmente conhecida por Schuppenflechte. Não tenho as erupções cutâneas (pelo menos ainda não e espero que continue assim), mas algumas articulações e minhas unhas estão betroffen...

Foi um mix de sentimentos: alívio por saber o que tenho, desespero por saber que não tem cura e por saber que talvez fique sem unhas... depois de uma vida lutando por unhas bonitas (e finalmente conseguindo)... Além de não conseguir mais fazer flexão e várioooos exercícios em posições que exigem os punhos como apoio (tipo quase todas da ioga e do body balance, meu grande amor)... Isn´t it ironic???? Don´t you think???

E aqui estou eu, passando remédio todos os dias para o resto da minha vida em todas as unhas, com unhas curtíssimas, deformadas e sem cor, com cutículas descoladas, escondendo as mãos horrorosas (ainda bem que tenho prática) e com consciência de que poderia ser pior, mas P. da vida por ser doch Scheiße.

Mundo... leck mich.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Rota Romântica: Augsburg - Donauwörth (de bike)

Bom, hj é meu aniversário e eu, que nem gosto de planejar nada, reservei (um boooooom tempo atrás) quarto num hotel no Bodensee (#ai meu bolso!). Também defini a rota para darmos a volta pedalando de 14.05. a 16.05.: ponto de partida seria Lindau e de retorno também, tudo lindo e maravilhoso!! Até passamos o último domingo arrumando as bikes.

Aí chega São Pedro, que adoooooooora acabar com a graça da Livinha, e resolve derrubar água bem no dia 15 (no meio do passeio). Eu q não sou boba nem nada falei pro namo: cancela a reserva do Ibis pq pedalar com tempestade não é o melhor jeito de começar meu 29. ano de vida!

Pronto, problema resolvido... mas o q fazer na quinta e no sabádo com tempo bom?? Sábado é amanhã, então hoje a noite a gente decide, mas ontem resolvemos o problema indo pedalar pros lados de cá mesmo. Já haviamos feito um dos trechos da rota romântica ano passado (Augsburg - Landsberg) e resolvemos fazer a mesma coisa só q pro norte: Augsburg - Donauwörth.

Vi a rota no google, li alguns posts de gente que fez e peguei dicas em sites de bike. Pra quem pretende imitar: leva um mapa ou melhor, vai com um bom gps no cel, o caminho é em alguns trechos MUITO mal sinalizado.

O percurso: saindo do centro de Augsburg atravessamos para o outro lado do Lech pela MAN-Brücke e de lá viramos a esquerda e subimos em direção ao Donau no caminho para bike na margem direita do rio. Seguimos "reto toda a vida" por uns 40 km até a cidade de Rain (tem uma cidade chamada Münster no caminho Ana :P). Eu até ia falar que nessa primeira parte não tem erro, mas como fiz besteira repasso o conhecimento adquirido: existem duas pistas que acompanham o Lech nesses 40 km: uma para bikes beeeem próxima da margem, e uma paralela (cheia de barro e buracos) para carros/tratores: peguem a para bikes (quando tiver uma bifurcação com as duas pistas e você ficar confuso/a, pegue pra esquerda, vai por mim). O namo ficou bem bravo, pelo menos acho que andamos "só" uns 15 km na pista ruim por lerdeza minha.


Chegando em Rain você precisa atravessar o Lech pq Donauwörth fica p esquerda e para isso: na Kraftwerkstrasse você anda em direção ao rio (segue a placa do Tillyweg) e entra "na barragem" através de uma porta sem sinalização. Suba a escada tenebrosa e atravesse a ponte, aprecie a vista por uns minutinhos (sua perna provavelmente já estará queimando)... (Algumas pessoas não atravessam nesse trecho e pedalam até o encontro do Lech com o Donau, mas a fome e a vontade de chegar em Donauwörth estavam grandes demais.)


Pronto, agora você liga o GPS e digita Donauwörth ou tira o mapa do bolso pq senão vc vai fazer m***a, a gente ficou andando em estrada sem acostamento e sem ciclovia por pelo menos uns 5 km (pegamos a via "16", não imite!).

E aí você chega em Donauwörth e começa a discutir com o namo pq cansaço + fome não combinam. De repente, o (mini) centrinho fofíssimo da cidade (de duas ruas) não tem a menor graça pq tudo o que você quer é achar um Burger King ou um McDonalds e você descobre que eles ficam perto da Bahnhof a 2 km da Altstadt...
e já está tarde (mais de 15:00)...
e vai ficar escuro na hora da volta...
e o Bayern-Ticket ficou em casa...
e você não quer gastar com trem se pode pedalar...
e o peso na consciência do King des Monats está te matando (pela primeira vez comi um menú inteiro, ó céus)...
e você queria pedalar 250 km ao redor do Bodensee e não pode demonstrar fraqueza pro namo (pq sim, ele vai jogar na sua cara quando vc vier com a próxima idéia de passeio "esportivo").


E você junta todas as suas forças e fala tentando esconder a cara de dor: "então vamos voltar né namo??" ...e ainda sorri aquele sorriso natural...

E assim foi.. voltamos por outro caminho (mil vezes melhor, asfaltado e sinalizado) pelo outro lado do Lech, passando por:
- Mertingen
- Nordendorf
- Meitingen
- Langweid am Lech
- Gersthofen

A única coisa desanimadora na volta é encontrar três placas em meia hora, todas dizendo: "Augsburg - 33 km". Acho que é pegadinha pra desanimar turista... como assim a gente não andou nemhum km em meia hora??!

Chegamos em casa 19:15 só o bagaço e, como a fome estava voltando, resolvi fazer sushi e ficar mais 3 horinhas na cozinha em pé... (aos poucos estou entendo pq o namo acha q tenho problemas...)


Depois de 100 km pedalando (e um bumbum que não me deixa sentar e joelhos que não me deixam ficar em pé) percebi que São Pedro não aprontou uma peça comigo fazendo cair o mundo hoje, ele só quis me ajudar e me trazer bom senso: "Não mão-de-vaca, você não é tão fit quanto pensa e não aguenta os 250 km no Bodensee em três dias...". E agora vou aproveitar o dia chuvoso pra planejar a rota de bike para o passeio de amanhã huhuhu (masoquismo mode on).

sábado, 25 de abril de 2015

Eu sumo, tu somes, ele some...

E aí que eu abandonei a internet e, consequentemente, o blog... Estou com saudade e tem einige posts no desktop do PC q está em Mannheim onde, óóóó (pasmem), não tenho internet de segunda a sexta (e viva o Smartphone e a internet baratinha da "ja-mobil").

No feriado volto à ativa, sorry Volk! 

:*

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Ganhar em euro ≠ ser rico

Tá aí um dos assuntos que mais me irritam na face da terra. O fato de as pessoas associarem "morar na europa" com "ser rico".

Só para esclarecer pq entrei nesse assunto: uma amiga amada (quase irmã) vai casar. Eu, boa amiga que sou, não poderia perder esse evento por nada, então mesmo estando no período probatório no meu novo emprego arrisquei e pedi férias. Fiz tudo isso com muita dor no coração por três motivos:

Motivo 1: eu estou trabalhando há apenas quatro meses e no período probatório
Motivo 2: geralmente eu fico três semanas por lá para aproveitar (volto só uma vez por ano) e dessa vez como ainda está cedo, só tenho dias de férias suficientes para ficar duas semaninhas
Motivo 3: a época do casamento (páscoa) é a segunda época mais cara do ano pra ir pra lá (depois do natal, óbvio)

Meu chefe aprovou minhas férias e ontem eu comprei passagem (aiiiiiiiiii meu bolso), mas admito que estou contando os dias e muiiiiiiiiito feliz por participar desse dia tal especial para uma das pessoas mais importantes para mim.

Acontece que ela me perguntou se o namo vai também e eu expliquei que não pq pra ele agora não compensa, ele paga mais ainda pq precisa pegar mais um voo no BR (isso que dá morar na pampa). E comentei que ela escolheu uma época muito cara pra gente ir. Recebi o seguinte comentário de volta:
"- Ah mas você ganha em euro!".

Preciso falar que inspirei e expirei mil vezes? Eu já ouvi isso antes, exatamente a mesma frase, e não foi só uma vez. Então aqui vai uma explicação para O MUNDO:

Ganhar em euro não é igual a ser rico minha gente! Se fosse assim, todo mundo que mora na Europa seria rico.... Sacou??!! Ou quer que eu desenhe??!! Bom, acho que por segurança vou desenhar:

Antes de tudo é bom explicar que se eu ganho em euro, eu também gasto em euro. Se por um lado algumas coisas são mais baratas pros lados de cá, outras são mais caras. Aaaa e por sinal, nós aqui na terra das batatas pagamos MTO mais imposto que vocês em terras tupiniquins (logicamente sobra muito menos "neto").

Esclarecendo mais alguns fatos: eu moro aqui desde de 2009, mas até o fim de 2012 eu estudava. Sabe quanto eu recebia quando trabalhava como estudante??  650 EUR/ mês. E eu não podia fazer como muitos que moram com a mãe pelo menos enquanto ganham pouco. Eu tinha que pagar 250 euros de aluguel por mês para morar em um cubículo de 19 m², e pagar contas, e viver. A verdade é que enquanto muitas pessoas se formaram e nos primeiros 3 anos após a formatura trabalharam e juntaram grana ou gastaram viajando, eu vivi três anos na europa sem conseguir guardar um centavo e recebendo ajuda dos papis para visitá-los uma vez por ano no Brasil. Não estou reclamando, vivi esses primeiros três anos muito bem nos meus 19 m², mas não fiquei rica e nem viajei pela europa inteira. Lógico que aproveitei horrores do modo "estudante sem grana", visitei alguns países e cidades na alemanha do jeito barato e curti sim (viajava ficando em hostel com 10 desconhecidos fedidos no quarto, fiz couchsurfing, comia sempre lanchinho do supermercado e janta em restaurante rolava quando o menu do McDonalds estava em promoção, se por um lado a Erdinger custava menos de um Euro por garrafa, eu só tinha dindin pra comprar a cerveja de 30 cents mesmo... vidão na verdade!). Estou com a mesma roupa em quase todas as viagens e usava o mesmo batom até ele acabar (hoje tenho uns 7 diferentes, uhuuuu hahahah). No fim do mestrado eu não tinha dinheiro suficiente nem pra voltar pro brasil... Talvez tenha virado mão de vaca por necessidade mesmo.

Bom, agora essa gente que já me achava rica pensa: "Poxa ela fez mestrado na Alemanha e agora trabalha lá como engenheira faz quase 2,5 anos, já deu pra juntar meio milhão de reais, certeza. Ahh e ficou tão metida que quase não volta pro Brasil".

Não gente, minha conta não está gorda e eu provavelmente consigo guardar menos que vocês que trabalham como engenheiro faz 5 anos no Brasil. Eu pago quase mil reais por uma kitnet, gasto uma pequena fortuna com transporte público (muito eficiente, não estou reclamando, mas é fato que não é barato), e tenho uma conta fixa que vocês não tem: gasto no mínimo uns 3000 reais no ano para ver minha família por alguns dias. Também sei que ganho menos (neto) que um engenheiro em uma empresa de grande porte no brasil, mesmo convertendo meu salário para reais.

Aqui profissionais técnicos e sem nível superior ganham mutio melhor que no Brasil e conseguem ter uma vida mais digna, fato, mas os engenheiros raraaaaaaaaaamente ficam ricos. A diferença de classes não é tão grande quanto no Brasil. Tenho muita qualidade de vida aqui, mas não por ganhar muito mais, mas por outras coisas que não posso medir com euros ou reais.

Então repito mais uma vez: ganhar em euro ≠ ser rico (não ache que é obrigação daquele primo que mora na frança te trazer um iPhone de presente, pq vc não faz idéia do que ele tem na conta, e pq mesmo que ele pertencer à minoria e for rico, o dinheiro é dele e só dele). Aaaa e vc que sonha em morar no exterior para encher o porquinho: escolha outro país, a Alemanha não é o lugar certo pra quem tem esse objetivo.

#ficaadica

sábado, 31 de janeiro de 2015

Caderno de Perguntas

Vi em outros Blogs e fiquei com vontade de brincar também... e para ter um pouco mais de graça, infernizei o namo hj quando estávamos acordando para ele responder (fiquei espantada: ele nunca respondeu um caderno de perguntas na infância/pré-adolescência... que triste ser menino).

1. Por que você costumava levar bronca quando criança?
eu: quase não levava bronca (era boazinha), mas era geralmente por brincadeiras de mau-gosto inventadas pela minha irmã mais velha (por exemplo fingir que estava passando mal para deixar a babá desesperada ou embrulhar pedras em papel de bala e dar para outras crianças)
namo: brigas com meu irmão, óbvio

2. Qual foi a última vez em que você saiu sem rumo?
eu: no meio do ano passado em uma crise de desempregada... andei alguns km de bike seguindo um ria e acabei parando em um banco na frente de uma represa...
namo: affff, nunca fiz isso

3. Três objetivos para seu futuro…
eu: conhecer a chapada diamantina, arrumar um emprego perto do namo, ter um hobby de verdade (tipo fotografia)
namo: ficar rico, ficar com a Livia, emagrecer (me senti mega prioridade)

4. O que você encontraria se abrisse a geladeira neste exato momento?
eu: não sei... pode ser da geladeira de Mannheim? (lá eu que faço compra e sei que não tem quase nada: dois kiwis, salame, firschkäse com kräuter, manteiga e geléia)
namo: coisas pra fazer panqueca

5. Qual tecnologia ocupa mais o seu tempo?
eu: net net net
namo: pc

6. Uma coisa usada que você comprou…
eu: mass de cerveja
namo: jogo de vídeo-game

7. Qual a primeira coisa que você faz ao acordar?
eu: olhar o celular, costume péssimo
namo: abrir os olhos

8. Do que você precisa neste exato momento?
eu: terminar logo esse questionário para ir no supermercado (antes que o namo vá sem mim)
namo: panqueca?

9. Qual foi a última coisa que você leu, ouviu ou assistiu que te inspirou?
eu: florence, always!
namo: nada

10. Um souvenir que você comprou ou ganhou…
eu: hmmm geralmente compro só coisa de comer e tickets de entrada para lugares...
namo: imã de geladeira

11. O que te deixa estressada?
eu: fome e gente me falando o que estou perdendo por estar longe do Brasil e pedindo pra que eu volte
namo: esse questionário... e o colega de trabalho xyz

12. Já morou em outro país além do Brasil?
eu: 1,5 anos na Venezuela (mas eu tinha só 8 aninhos) e há 5,5 anos na Alemanha
namo: sim

13. Você tem tatuagem?
eu: nao
namo: nao

14. Qual foi a última coisa que você pesquisou no Google?
eu: "Reisekostenformular"
namo: "königsplatz kamera"

15. Qual a sua maneira de ser egoísta?
eu e namo: imitamos outros expatriados: morar longe

16. O que demora demais?
eu: a semana longe do namo
namo: esse questionário

17. A última vez em que você ficou acordada durante a noite toda…
eu: de quinta pra sexta (não consegui dormir.. mesmo estando morta)
namo: quando você (Livia) tem uma de suas crises

18. Qual comida que todo mundo ama mas que você odeia?
eu: bacalhau (ECAAAAAAA me deu nojo só de pensar)
namo: ricota (não sei se todo mundo ama, mas acho que é a única coisa que odeio)

19. O que você está vestindo agora? O que essa roupa diz sobre você?
eu: calça jeans, blusa de pijama e cachecol... e como são mais de 14:00 quer dizer que tenho preguiça de me trocar e que ainda não estou pronta pra ir pro mercado (namo, aguenta só mais um pouquinho please)
namo: pijama (ele respondeu ainda na cama, mas já saiu pra correr, já tomou banho e já está todo bonito de jeans e pullover da minha cor favorita)

20. Já fez amigos ou se apaixonou por alguém que você conheceu pela internet?
eu: yes, mas dispensa detalhes
namo: não (e olhou com aquela cara: "é óóóbvio que não, afff")

21. O que te faz perder o sono durante a noite?
eu: mais fácil me perguntar o q não me faz perder o sono... mas acho que o mais crítico são filmes de terror
namo: stress, coisas do trabalho

22. Qual foi a primeira coisa que você comprou com seu dinheiro?
eu: minha certeira de motorista (foi lindo na época, pena que sou uma cagona e ela não serve pra mais nada)
namo: faz tanto tempo, nem sei

23. O que tem na sua prateleira?
eu e namo: qual delas??

24. Como você se acalma depois de um dia estressante?
eu: esporte ou uma caminhada ao ar livre
namo: jogando vídeo game

25. Escreva sobre algo que você quebrou…
eu: meu mp3 (foi no bolso de um moletom na máquina de lavar roupa, não, ele não era "water resistant")
namo: uma taça (e eu completei com: "eu ia falar isso mesmo hahaha")

26. O que você mais gosta de comer no café da manhã?
eu: nossa não sei... acordo com tanta fome que como tudo o que encontrar feliz e contente (até arroz com feijão)
namo: depende

27. Como quer que sua vida de aposentada seja?
eu: quero que eu e meu parceiro tenhamos saúde e dinheiro para passear bastante...
namo: rico (já gostei, se ele continuar saudável me ajuda nos meus planos rs)

28. O que você leva em consideração ao votar em um partido político?
eu: sou politikbanause, não sei (mas não gosto muito de partido muito socialista não...)
namo: várias coisas

29. A religião é um fator importante na sua vida? Por quê?
eu e namo: noooooooops

30. Como está sua casa agora, limpa, suja?
eu: limpei um pouquinho quando ele saiu pra correr uma hora atrás :)
namo: suja

31. Você não economiza quando o assunto é…
eu: acho que sempre economizo quando dá.. mas gasto sem muito dó com comida
namo: Livia feliz

32. Você separa o lixo para reciclagem?
eu e namo: yes

33. Sua sobremesa favorita?
eu: desde que seja doce, tenha chocolate e muitas calorias tá valendo
namo: várias, depende

E agora vou criar vergonha na cara, me trocar e sair com o namo antes que o dia acabe e eu não tenha feito nada... Fui!

domingo, 18 de janeiro de 2015

Payback e TPM gerando descontrole

Explicando: diversas lojas estão no programa Payback e você ganha pontos de acordo com a quantidade de dindin que gastou em compras. Esses pontos você pode trocar por prêmios ou um cupom com certo valor para gastar nas lojas parceiras (já expliquei aqui). Algumas vezes no mês você recebe um email ou uma carta com cupons que multiplicam os pontos em certas lojas por um certo período, como por exemplo:

"5x mais pontos na sua compra no REWE até o dia 20.01.2015"

"200 pontos extra na sua compra na dm acima de 20 Euros no dia 25.01.2015"

Óbvio que eu procuro fazer compras na dm (perfumaria/drogaria) e no REWE (supermercado) sempre quando dá pra juntar mais pontos de uma vez. Quando os pontos serão multiplicados, procuro fazer uma compra maior (mas sempre de coisas que compraria mais cedo ou mais tarde de qualquer jeito). Até aí tudo bem, é uma atitude consciente, planejada e normal. Como eu já disse, eram coisas que eu compraria de qualquer jeito.

Acontece que a combi "cartinha da Payback com cupons" e TPM é uma catástrofe. Semana passada eu recebi vários cupons e um deles era da TeeGeschwendner (uma marca de chás diferentes e caros, mas muito saborosos):

"5x mais pontos na sua próxima compra acima de 20 Euros até xx.01.2015"

Para ajudar, ganhei um sachê para uma xícara de um chá dessa marca delicioso de um colega de trabalho essa semana. Pronto, a louca aqui encanou que queria comprar do chá delicioso... e já que eu iria gastar nessa loja de qualquer maneira, melhor já gastar acima de 20 Euros para juntar mais pontos né?

Ontem o namo me levou para almoçar (usando meu livro de cupons de desconto, óbvio) e na volta me perguntou se eu queria passar em algum lugar. Estava com o cupom da TeeGeschwendner no bolso e avisei que queria dar uma passadinha para pegar um chá lá. Fomos até a loja, achei o chá que queria e, para a minha decepção (sente a incoerência), o pacotinho custava "apenas" 4 Euros (uma fortuna para um pacotinho tão pequeno de chá). Eu, convencida de que precisava ganhar mais pontos, resolvi pegar mais chás:

Livia louca: "Namo, pode escolher os chás que você quiser"

Namo olhando estranho: "Eu não quero nada"

Livia louca: "Pega algum diferente pra você provar e me ajuda a achar alguns para mim"

Namo olhando mais estranho ainda: "Mas você não achou o que você queria?"

Livia louca (e provavelmente com mais cara de louca ainda): "É que eu preciso gastar mais de 20 Euros"

Namo sem acreditar no que está vendo e ouvindo: "Como assim??!"

Livia louca (ainda se achando normal): "Eu só ganho 5x os pontos se eu gastar mais de 20"

Namo: "Mas você vai comprar só para ganhar pontos?? Ninguém aqui está comprando tanto chá assim! Você não vai tomar tudo isso de chá..."

Livia louca (explicando com calma e achando o namo estranho): "Claro que vou, eles têm chás deliciosos, cheira esse aqui..."

Namo para a atendente (entrando na loucura da namorada para não piorar a situação): "Você tem hortelã?"

Atendente: "Claro, aqui ó."

Namo para a atendente: "Ahhh mas hortelã eu já conheço..." (não sei pq ele perguntou então, enfim)

Atendente olhando estranho para o namo e para a Livia louca cheirando todos os chás: "Esse outro é tipo hortelã, mas um pouco mais forte..."

Namo pegou um pacote desse, eu peguei mais dois diferentes..

Livia louca: "Namo ainda faltam 4 Euros, qual mais você quer."

Namo (impaciente): "Livia, ninguém faz isso, as atendentes estão rindo! Que vergonha... não quero mais nada!!"

Ele saiu de perto e foi ver chocolates.

Livia louca pegou mais um pacote de hortelã intensivo (igual do namo) e a atendente olhou com uma cara mais estranha ainda.

Namo veio para o caixa com três chocolatinhos e eu entreguei o cupom de pontos para a atendente na hora de pagar (que deve ter entendido o meu comportamento estranho, mas provavelmente continuou me achando louca).

Namo inconformado: "Você nem sabe se esse chá é bom e pegou um segundo pacote, meu deus Livia!".

Para ajudar, na hora do pagamento o cupom não foi aceito. Eu saí da loja com 350 g de chá, nenhum ponto extra, 22 Euros a menos e um namorado pensando em terminar ou me mandar para um hospício:


Essa história de sempre tentar juntar pontos Payback não acontece só nesse período trágico chamado TPM, mas a conclusão da história é que nunca mais abro cartas ou Emails da Payback no período Pré-dias-vermelhos (ainda mais se eu tiver emendado cartelas como dessa vez e estiver "levemente" descontrolada).

A parte boa da história: tenho chás gostosos para o ano todo e consciência de que eu não sou eu quando meus hormônios tomam conta de mim.